Sexta-feira, 05 de junho de 2020
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Mamães cangurus, alternativa para os prematuros

Por Luiza Helena Marcondes * em 08/08/2001


Conheça um pouco mais sobre esse recurso eficiente, utilizado em alguns hospitais, no tratamento de bebês que nascem antes do tempo.

Estar grávida é um dos momentos mais sublimes da vida da mulher, não é mesmo? Mas esse período é cercado de inquietações, medos e angústias que só terminam quando a criança nasce. Contudo, alguns problemas durante a gestação - como a hipertensão, por exemplo - podem antecipar a chegada do bebê.


Apesar da fragilidade do estado de saúde dos prematuros e os cuidados que o cercam, a cada dia novas técnicas surgem para livrá-los das complicações nos primeiros meses de vida. Entretanto, mesmo com os avanços da medicina, um velho recurso tem sido utilizado em certos hospitais e com bons resultados entre esses bebês valentes: a mãe canguru.


A técnica não é nova, mas funciona: consiste em colocar mãe e filho em contato direto. Leia-se corpo a corpo, pele a pele e calor a calor. O bebê, apenas de fralda, é enrolado junto ao peito da mãe com uma faixa ou um lençol. Para que tudo saia bem e os resultados sejam satisfatórios, a mulher deve permanecer nua - coberta com lençol e cobertor, dependendo da temperatura ambiente - e semi-deitada de forma que a criança fique de bruços sobre seu corpo.

Crises geram soluções

Desenvolvido na década de 70 pelo neonatologista e professor de pediatria da Universidade Nacional da Colômbia, Edgar Rey Sanabria, o método tinha por objetivo substituir a quantidade insuficiente de incubadoras nos hospitais. Sanabria buscou no reino animal a solução para seus problemas: todo bebê sadio, com mais de 2 kg e que precisasse engordar, ficaria "preso" ao corpo da mãe durante todo o dia, assim como os filhotes do canguru que permanecem dentro da bolsa da mãe para mamar e se proteger.


No Brasil, o método canguru vem sendo utilizado há vários anos, com pequenas adaptações. Mesmo que o recém-nascido tenha menos de 2 kg e se encontre em boas condições vitais, pode permanecer alguns minutos ou até horas ao longo do dia juntinho da mãe. O tempo de convivência dependerá da resposta aos estímulos do bebê e a da disponibilidade da mulher em passar algumas horas com o filho no hospital.

Carinho e mais tempo

De acordo com o neonatalologista do Hospital Albert Einstein, César Lizo, de São Paulo, é preciso avaliar o estado geral da criança e verificar a possibilidade de realização da mãe canguru. "Nem todos os prematuros podem ser submetidos ao método, pois às vezes o estado de saúde é muito crítico. Um exemplo são os bebês que não conseguem manter a temperatura corporal e precisam necessariamente ficar na incubadora", explica o médico.


Basicamente, o método é utilizado para que a criança atinja o peso adequado, desde que não precise de medicamentos e aparelhos para a manutenção de suas funções vitais. Mesmo assim, o bebê é monitorado durante todo o tempo em que está no colo materno. "Uma equipe médica permanece de prontidão para socorrer a criança caso ela tenha algum problema", alerta o especialista.


Dr. César destaca que a técnica estimula o bebê a acompanhar os movimentos respiratórios materno enquanto está sobre seu peito. E a grande vantagem da técnica canguru é o carinho e a intimidade que mãe e filho podem desfrutar durante alguns minutos.


Segundo o médico, no entanto, é difícil afirmar que, comparado aos tratamentos convencionais, a recuperação do recém-nascido seja mais rápida. O grau de prematuridade influencia muito, mas o contato com a mãe favorece a recuperação da criança. "Com certeza, os prematuros que são submetidos ao método canguru adquirem mais capacidade neuropsicomotora e afetiva", conclui.


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Momento Clicfilhos - Leitura, desafio de pais e professores 13/02/2020 às 16:18:58

Habituar os filhos a mergulhar nos livros nem sempre é fácil. Aprenda, aqui, como estimulá-los.

   
Momento Clicfilhos - Afinal, para que serve a mesada? 13/02/2020 às 15:58:02

Os filhos pedem, e como pedem! Querem brinquedos, roupas de griffe, jogos de videogame, guloseimas... Como fazer da mesada uma aliada?

   
Momento Clicfilhos - Bullying, violência na escola 13/02/2020 às 15:20:51

Humilhação, intimidação, ameaça. Diariamente, estudantes de todas as idades são vítimas desse tipo de violência moral na escola. Os agressores são seus próprios colegas. Como lidar com essa situação?

   
Momento Clicfilhos - Animais, alegria para toda a família 13/02/2020 às 15:16:32

Animais de estimação oferecem carinho e companhia, ajudando até a curar a depressão. Quem resiste?

   
Momento Clicfilhos - Com açúcar, com afeto... 13/02/2020 às 15:08:46

Você entra no quarto do seu filho e sente como se um furacão tivesse passado por ali: gavetas semi-abertas, roupas para fora, brinquedos espalhados pelo chão, lápis, livros e cadernos sobre a cama ...