Domingo, 23 de abril de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Filho, um sonho cada vez mais possível

Por Dr. Paulo César Serafini * em 27/03/2001


Há casais que sonham ter um bebê, mas enfrentam o pesadelo da infertilidade. Um especialista em Endocrinologia Reprodutiva pode indicar o caminho para reverter a situação.

Infertilidade é a inabilidade de um casal conseguir engravidar ou de levar esta gravidez até o termo depois de um ano de atividade sexual regular para a mulher que não completou 35 anos de idade.

Ultrapassada a marca dos 35 anos de vida cronológica, os novos conceitos denominam infertilidade passados seis meses de atividade conjugal freqüente sem engravidar.


A Organização Mundial de Saúde estima que, aproximadamente, 8 a 10% dos casais apresentam alguma forma de problema relacionado à infertilidade ou dificuldade para engravidar.


A incidência de infertilidade no homem e na mulher é quase idêntica: trata-se de uma questão exclusivamente feminina em 30 a 40% dos casos; masculina em até 30%; comum a ambos os parceiros em 15 a 30% e, sem causa aparente - apesar das investigações - médicas, em 5 a 10% dos casos.

O que provoca infertilidade?

As causas mais comuns da infertilidade feminina são as desordens ovulatórias e as anormalidades anatômicas provocadas por processos infecciosos como as decorrentes de doenças sexualmente transmissíveis, causando problemas como bloqueio nas trompas de Falópio.


São, também, causas de subfertilidade feminina a endometriose - doença caracterizada pela presença do endométrio (parte interna do útero) fora da cavidade uterina que poderia comprometer a mobilidade tubária e o sistema imune e a hiperprolactinemia - aumento do nível de prolactina - hormônio que quando aumentado leva à ausência de ovulação e conseqüentemente à infertilidade.


As causas masculinas de infertilidade podem ser divididas em três principais categorias: desordens na produção de espermatozóides, afetando a qualidade e/ou a quantidade de esperma; obstruções anatômicas do sistema canalicular que transportam os espermatozóides e outros fatores como desordens imunológicas.

A quem recorrer?

Casais com dificuldades para engravidar devem procurar um médico especialista assim que uma das causas for mencionada pelo ginecologista e/ou pelo urologista, que tratam de cada um dos cônjuges.


O médico especialista em Endocrinologia Reprodutiva trata de infertilidade, distúrbios hormonais relacionados ao processo e cirurgias do aparelho reprodutivo.


Os especialistas em Reprodução Humana, normalmente, completam Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia e realizam treinamento avançado em Endocrinologia Reprodutiva durante período superior a um ano em Centros com excelência em Reprodução Humana nacionais e internacionais.


* Dr. Paulo César Serafini é Diretor Geral do Huntington Centro de Medicina Reprodutiva Brasil. Pós-graduado na University of Southern California (USC) em Los Angeles (USA). Especialista em Ginecologia, Obstetrícia e Reprodução Humana pelo Colégio Americano de Obstetrícia e Ginecologia dos Estados Unidos.


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Emagrecendo após a gravidez 10/09/2001 às 15:48:00

Descubra os exercícios mais indicados e algumas dicas para que a mamãe emagreça após a gestação.

   
Síndrome de Down 23/11/2000 às 17:03:00

Aprenda mais sobre a síndrome que afeta milhares de crianças ao redor do mundo. Não há cura para ela, mas os tratamentos já garantem uma melhor qualidade de vida para essa população.

   
Yoga para gestantes 08/04/2007 às 12:48:00

Mulheres grávidas podem fazer yoga? A resposta é sim! Saiba quais são os benefícios desta atividade para as futuras mamães.

   
Toxoplasmose na gravidez, um risco para o bebê 26/04/2002 às 15:37:00

Conhecida como "doença do gato", a toxoplasmose é uma doença extremamente grave para o feto. Aprenda o que fazer e como se prevenir!