Sábado, 27 de maio de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Arte em trânsito

Por Renata Sant'Anna *


Vire a cabeça e preste atenção: você vai descobrir, nas ruas, uma porção de surpresas agradáveis.

Perdemos muito tempo no trânsito e raramente reparamos nas diversas obras de arte espalhadas pelas ruas e avenidas da cidade. São monumentos, esculturas, pinturas em prédios e grafites que passam despercebidos nesse vaivém incessante do dia a dia. Você já prestou atenção nessas obras? Já observou os muros da cidade enquanto passeia de carro ou a pé? Usaremos melhor o tempo que passamos dentro do carro se mostrarmos a arte pública para nossos filhos. Dessa forma, estaremos desenvolvendo na criança um olhar mais atento e crítico sobre a cidade e incentivando seu interesse por diversas manifestações artísticas que estão ao alcance dos olhos.

Cartazes e grafites

A propaganda em "outdoors" ou as pinturas nos ônibus são exemplos do uso da arte na propaganda e compõem o cenário de nossas metrópoles. Os "outdoors" cresceram, alguns têm objetos que se movem, outros apresentam recortes que extrapolam seus limites. As pichações são facilmente encontradas nas paredes, muros, tapumes e prédios. São nomes, pequenas frases, declarações de amor e desenhos pichados com "spray" ou pintados com pincel.

Antes, porém, de transformar-se em uma expressão anônima de determinados grupos que querem deixar sua marca na cidade, os grafiteiros tinham como proposta "transformar a cidade com uma arte viva, popular, de que as pessoas participem, acrescentando ou tirando detalhes das imagens", como disse o grafiteiro Alex Vallauri. No final dos anos 70, alguns artistas, munidos de latas de "spray", pincéis e tinta, espalharam vários desenhos pelos muros da cidade. Eram detalhes de obras de arte, figuras de histórias em quadrinhos, peões, jacarés etc.

Murais ao ar livre

O sucesso dessa intervenção na cidade foi enorme! Por todos os lugares, encontrávamos marcas desses artistas. Os jornais comentavam, a polícia se dividia entre os que achavam que o grafite enfeitava a cidade e os que pensavam que a sujava. Conte essa história a seus filhos.

Hoje, infelizmente, os grafites dessa época são raros. Em nossas cidades, restam apenas algumas inscrições indecifráveis. São marcas de pichadores sem um projeto artístico, diferente da proposta dos grafiteiros da década de 80.

Mostre a seus filhos os grafites e as pichações existentes. Em São Paulo, no túnel que nos leva da Avenida Paulista à Dr. Arnaldo, podemos ver um grande mural grafitado. Peça a opinião de seus filhos. Será que eles acham que enfeita a cidade? Faça um jogo de observação enquanto sua família se desloca de um lugar ao outro.

Vamos descobrir os grafites, pinturas em murais, esculturas e monumentos de nossa cidade; reparar nos bustos e esculturas colocados nas praças em homenagem às figuras importantes da história da cidade ou do país. Vamos eleger o "outdoor" mais bonito.


Vamos brincar de olhar a cidade!!! Bom passeio...


* Renata Sant'Anna é artista plástica e educadora. Mestre em Artes Plásticas pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo.


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
O grande reencontro 05/05/2009 às 19:04:00

Em uma grande homenagem ao Dia das Mães, o Clicfilhos conta a você a história de Assílio, que foi separado de sua mãe quando pequeno e, após 30 anos, conseguiu reencontrá-la por meio da Internet.

   
Limites diante da telinha 11/06/2001 às 16:08:00

A televisão é extremamente poderosa e, se os pais não abrirem os olhos, correrão o risco de conviver muito pouco com seus filhos. Quantifique as horas e analise os programas que seu pimpolho está assistindo.E não esqueça que noticiário violento não é prog

   
Dicas para proteger seus filhos 26/03/2003 às 13:21:00

Principalmente as grandes cidades oferecem uma série de riscos para nossos filhos. Veja aqui dicas para protegê-los contra alguns problemas, como assalto e seqüestro.

   
Abuso sexual contra crianças 14/08/2004 às 14:27:00

Na grande maioria dos casos de abuso sexual contra crianças, o agressor é um parente ou conhecido da família. O que fazer para evitar essa ameaça que parece tão próxima?

   
Crianças especiais 05/11/2003 às 13:40:00

Classes regulares aceitando alunos com necessidades especiais já são realidade em algumas escolas. Naturalmente, como em toda reformulação, existem dúvidas dos pais. Será positiva a convivência entre crianças com diferenças mais acentuadas?