Sábado, 27 de maio de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Escola para os pais, por que não?

Por Lucy Casolari *


As inseguranças dos pais quanto à educação dos filhos fazem parte do cotidiano. Conheça, aqui, uma nova forma de aprender mais sobre os pequenos: a escola de pais.

Filho, como se sabe, não vem com "manual de instrução". Educar uma criança é uma tarefa feliz, mas, também, árdua. Mãe e pai irão construir seus respectivos papéis a partir da vivência com seus filhos. Pode-se dizer que é uma verdadeira aprendizagem, em que haverá acertos e, sem dúvida, desacertos ou erros. Não se iluda, não há receitas mágicas, nem fórmulas infalíveis. Portanto, é nos tropeços diários que se aprende a exercer as funções de pai e mãe, dosando a quantidade de "sim e não" que precisamos dizer aos nossos filhos, encorajando-os a superar os obstáculos e desafios possíveis e ajudando-os a suportar suas frustrações.


Ah, bons tempos aqueles em que só havia certezas... As atitudes educativas eram baseadas apenas nos modelos dos antepassados, pois a sociedade mudava muito lentamente. É claro que havia equívocos, também, mas os questionamentos eram, provavelmente, menos intensos.

Ajuda para exercer a função de pai e mãe

Um número expressivo de escolas, percebendo as necessidades e ansiedades das famílias, costuma oferecer ciclos de palestras com especialistas em educação. É uma maneira de proporcionar oportunidade de reflexão e debate sobre diversos temas e, ao mesmo tempo, promover o tão importante contato entre seus pais. Todo espaço para troca de experiências é, sem dúvida, precioso. Melhor ainda se for conduzido por um profissional experiente e competente.


No momento em que ouve relatos semelhantes ao que acontece na sua casa, você diminui seu nível de ansiedade e consegue enxergar o cenário com mais clareza e, portanto, poderá agir mais assertivamente. Se chegar um convite da escola de seu filho, para um ou mais encontros, vale a pena comparecer, você pode se surpreender com ajuda que isso poderá representar para o seu dia-a-dia.



Alguns especialistas, dentre os quais: educadores, pediatras, psicopedagogos e psicólogos oferecem diversos atendimentos a pais, em grupos organizados a partir da idade dos filhos ou de assuntos específicos. Um trabalho semelhante é realizado por algumas igrejas em suas sedes.

Escola de pais do Brasil

As dúvidas e preocupações na educação dos filhos não são recentes. Foi exatamente para discuti-las e buscar soluções que surgiu, há quase 30 anos, a Escola de Pais do Brasil, entidade particular, sem fins lucrativos. Tem registro social no Ministério da Educação como entidade de utilidade pública. Desde o seu início, o movimento mantém-se aberto a pais e educadores de qualquer raça, condição social, credo político, religioso ou nível intelectual. Sua principal finalidade é aprimorar a formação dos pais, ajudando-os a exercer suas funções educativas na família e na sociedade. Para isso oferece dinâmicas de grupo semanais com cerca de uma hora e meia de duração para debater os problemas levantados e encontrar soluções. Os encontros dos pais são realizados em escolas, condomínios, paróquias, centros comunitários, clubes ou empresas, sem cobrança de taxas, sob a coordenação de casais membros da Escola de Pais.


Seu trabalho representa um "aprendizado em ação", ou seja, pretende atingir os pais enquanto educadores, para conscientizá-los de sua responsabilidade na formação dos filhos e ajudá-los a encontrar soluções para os problemas que os afligem em sua tarefa educativa.


Com sede nacional em São Paulo, a Escola de Pais está presente em 16 Estados brasileiros, com um número crescente de unidades em todo o país. É filiada à Fédération Internationale Pour L´Éducation des Parents, com sede na França. Seus órgãos diretivos máximos são a Diretoria Executiva Nacional e o Conselho Consultivo, que coordenam, supervisionam e orientam todos os trabalhos da Escola de Pais do Brasil. Cada região do país tem responsáveis pelas escolas: os Delegados Regionais, além de inúmeros casais coordenadores dos círculos de debates. O Conselho de Educadores é constituído de especialistas em Pedagogia, Psicologia, Psiquiatria, com reconhecida competência na área de educação, e larga experiência na problemática familiar. Este Conselho é responsável pela doutrina, bibliografia e todo material necessário ao conteúdo dos círculos.

Círculos de debates

São estruturados em reuniões semanais, a partir de temas que procuram facilitar o debate e oportunizar a discussão dos diversos problemas que os pais encontram na educação de seus filhos. Seu objetivo é dar subsídios aos pais para que possam proporcionar a seus filhos uma formação adequada às necessidades e exigências do mundo moderno, caracterizado pela mudança de costumes e valores.


A alma dos Círculos de Debates é a participação ativa, a troca de idéias, a reflexão. A coordenação desses encontros é feita por casais voluntários, especialmente capacitados para o desempenho da função. Para motivar os pais, os debates são introduzidos por filmes, cartazes, recortes de jornal etc. Expostos os temas, os "circulistas" são divididos em grupos para discutir as questões levantadas. Desse modo, a busca das respostas faz parte de uma construção coletiva, na qual cada um dos participantes contribui com sua opinião e experiência, em um espaço de debate compartilhado com outras famílias.


Se em sua cidade não existir uma Escola de Pais e houver um grupo interessado em abri-la, entre em contato com a sede nacional que irá orientar o caminho para a formação da nova unidade.


* Lucy Casolari é pedagoga e educadora


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
As dificuldades do autismo 26/07/2001 às 14:12:00

Autismo é uma questão delicada, que muitos pais têm dificuldades em aceitar e tratar da forma correta. Conheça melhor as faces dessa condição.

   
Problemas todos temos 11/07/2002 às 14:11:00

Dificuldades em casa: ansiedade, medo, vergonha de partilhar? Quando e por que abrir o jogo na escola?

   
Bullying, violência na escola 01/08/2004 às 11:19:00

Humilhação, intimidação, ameaça. Diariamente, estudantes de todas as idades são vítimas desse tipo de violência moral na escola. Os agressores são seus próprios colegas. Como lidar com essa situação?

   
Manual do ficar, especial para pais 17/06/2002 às 15:36:00

Para os pais que não viveram a onda do "ficar".

   
Convivendo com um deficiente 13/09/2001 às 14:23:00

A família de um portador de deficiência mental é especial. Saiba como lidar com a diferença entre os filhos, educando-os de forma equilibrada, realista e verdadeira.