Sábado, 22 de julho de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Pequenos, mas perigosos!

Por Dr. Leonardo Posternak *


Picadas de mosquitos, vespas, aranhas e carrapatos podem ser evitadas com uma boa dose de cuidados e o uso de repelentes. Mas se isso acontecer, a identificação do 'autor do crime' é importante para que o atendimento seja correto.

Crianças são alvos preferidos dos insetos e aracnídeos, pois passam mais tempo ao ar livre e circulam em áreas onde eles se concentram, como mato e gramado alto.


Quando a prevenção falha, a picada é certa. Aí não dá para resistir à vontade de coçar, o que normalmente resulta numa infecção. É claro que você não pode manter seu filho trancado em casa, mas é possível afastar os bichinhos com algumas precauções básicas

O início da batalha

Para manter seu filho livre de picadas, use um repelente de insetos com concentração de até 10% de dietiltoluamina (DEET) - agente repelente. Fórmulas alternativas não utilizam o dietiltoluamina (DEET), portanto não funcionam tão bem. Caso opte por uma delas, aplique com mais freqüência que o indicado. Não use repelente em bebês com menos de seis meses.


Espalhe o produto com cuidado. Primeiro pulverize o repelente em suas mãos, depois passe em todas as partes expostas do corpinho da criança. Evite olhos, boca e quaisquer cortes e machucados.


Não deixe que o produto entre em contato com as mãos de crianças pequenas, pois elas as colocarão na boca. E quando desistirem de brincar ao ar livre, remova o repelente com água e sabão.


Além do repelente, utilize procedimentos corretos para afastar esses bichinhos tão indesejáveis:


  • Não deixe a criança brincar em áreas de pântano ou perto de latas de lixo.


  • Quando possível, vista as crianças com camisetas de mangas longas e calças compridas enfiadas nas meias (ou nas botas de borracha) quando estiverem brincando ao ar livre.


  • Evite sabonetes, loções, protetores solares e xampus perfumados, pois eles atraem mosquitos.


  • Verifique a presença de colmeias e ninhos de vespas ao redor da casa. Caso positivo, ensine suas crianças a fugir bem devagar, não fazer movimentos bruscos e não bater nos insetos, por que eles atacam. Contrate um profissional para destruí-los ou removê-los.


  • Habitue-se a verificar sinais de carrapato. Dê especial atenção à parte de trás do pescoço próximo ao couro cabeludo, axilas, atrás das orelhas e joelhos. Cheque, também, os animais de estimação.

    Primeiros socorros

    Caso os procedimentos de prevenção falhem, é importante reconhecer as picadas dos diferentes insetos para tratá-las, reduzindo a dor e a coceira.









    * Dr. Leonardo Posternak é médico pediatra,
    membro do Departamento de Pediatria do Hospital Israelita Albert Einstein.
    Co-autor do livro
    E Agora, o que Fazer? A Difícil Arte de Criar os Filhos
    , Editora Best Seller.
    Autor de
    O Direito a Verdade - Cartas Para Uma Criança
    , Editora Globo.


  • Comentário:    
           

    Matérias relacionadas

       
    Animais, alegria para toda a família 06/11/2001 às 15:33:00

    Animais de estimação oferecem carinho e companhia, ajudando até a curar a depressão. Quem resiste?

       
    Verão cheio de energia 09/12/2002 às 13:10:00

    Verão de altas temperaturas! Ótima desculpa para programar passeios ao ar livre e viagens à praia e ao campo, com direito a mergulhos no mar ou na piscina. Mas, para que tudo transcorra da melhor maneira possível, convém tomar certos cuidados.

       
    Sempre alerta! 22/08/2003 às 17:16:00

    O Movimento Escoteiro existe há mais de 100 anos e desde então se propõe a ensinar a crianças e jovens valores como respeito ao próximo e à natureza, lealdade, responsabilidade e disciplina.

       
    Os primeiros anos duram para sempre 19/09/2003 às 18:15:00

    A fase pré-escolar não é apenas uma etapa de recreação e de preparação para o aprendizado. Ela representa a parte mais decisiva do próprio aprendizado - e influencia muito o futuro da criança.