Sábado, 21 de outubro de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Sempre alerta!

Por Carla Oliveira *


O Movimento Escoteiro existe há mais de 100 anos e desde então se propõe a ensinar a crianças e jovens valores como respeito ao próximo e à natureza, lealdade, responsabilidade e disciplina.

Atualmente, 28 milhões de pessoas praticam o escotismo no mundo todo. No Brasil, são cerca de 70 mil. Se você pensa que ser escoteiro significa apenas vestir um uniforme, ajudar velhinhas a atravessar ruas e acampar no meio mato, está enganado. É claro que isso faz parte da vida dos escoteiros, mas há muito mais por trás disso. Por meio de jogos, trabalhos manuais, excursões, músicas e muitas outras atividades, os escoteiros aprendem valores fundamentais, como a importância de ajudar o próximo, respeitar a natureza, conviver em grupo, ter autonomia, responsabilidade e auto-confiança.


"O principal objetivo do movimento escoteiro é a formação do caráter", afirma Jonathan Govier, diretor-presidente do Grupo Carajás, em São Paulo. O Grupo Carajás é o segundo grupo escoteiro mais antigo do Estado de São Paulo e seus pontos de encontro são o Colégio St. Paul´s e a sua Sede, no Alto da Boa Vista. Atualmente, 200 pessoas fazem parte do grupo, entre crianças e adultos.

Ramos escoteiros

Cada grupo escoteiro é divido em ramos, que são definidos de acordo com a idade. Ao contrário do que muita gente pensa, as meninas também podem ser escoteiras. Fica a critério de cada grupo definir se as turmas serão exclusivamente femininas, masculinas ou mistas. E não se deve confundir o escotismo com o bandeirantismo. Os bandeirantes - que também aceitam tanto meninos como meninas - formam outro movimento que segue princípios semelhantes, mas cuja organização é independente do movimento escoteiro.


Dos 7 aos 10 anos, as crianças formam a Alcatéia e recebem o nome de lobinhos ou lobinhas. Cada turma de lobinhos ou lobinhas é chamada de matilha. Nessa etapa, aprendem diversas coisas, como acender fogueira, cantar o hino nacional, conhecer sinais de trânsito, praticar boas ações, cuidar da higiene pessoal e até mesmo economizar dinheiro. "Desde cedo, a criança aprende a assumir responsabilidades, a refletir sobre suas atitudes e desenvolver espírito de equipe, dentro de suas possibilidades, é claro, e respeitando a individualidade de cada um", enfatiza Jonathan.


Dos 11 aos 14 anos, as crianças integram a Tropa Escoteira, etapa em que aumentam seus conhecimentos sobre convivência em grupo, primeiros socorros, sobrevivência em lugares inóspitos, respeito à natureza, solidariedade e cidadania. Cada turma de escoteiros é chamada de patrulha e seu lema é "Sempre alerta!", que significa estar sempre pronto para ajudar quem precisa. Dos 14 aos 18, os meninos formam a Tropa Sênior e as meninas formam a Tropa Guia. No entanto, ambos podem integrar a Tropa Sênior Mista.


Antes de completar 18 anos, o Sênior ou a Guia são encaminhados para o Clã Pioneiro. Faz parte da programação dessa etapa escolher uma entre as dezenas de especialidades, como segurança, meteorologia, pesca, montanhismo, nutrição ou salvamento. As especialidades têm como finalidade para estimular o interesse do jovem e, quem sabe, até direcioná-lo para uma futura profissão. Aos 21 anos, o jovem adulto poderá continuar como voluntário no movimento escoteiro.

A origem do movimento

O movimento escoteiro foi idealizado pelo inglês Robert Baden-Powell (1857 - 1950). Após terminar os estudos secundários, ele ingressou no exército, onde logo se destacou. Em 1899, durante a Guerra dos Boers, na África, ele teve de recrutar adolescentes da cidade de Mafeking e treiná-los para auxiliar em algumas tarefas, pois contava com poucos soldados. Powel ficou impressionado com a coragem, a lealdade e a responsabilidade dos garotos, fato que funcionou como um primeiro estímulo para a criação do movimento escoteiro. Quando retornou à Inglaterra, ele foi tratado como herói.


Em 1907, Powell realizou um acampamento experimental com 20 garotos em Browsea, no Canal da Mancha, e lhes ensinou técnicas de primeiros socorros, sobrevivência, localização e segurança na floresta. Esse acontecimento marca o início do escotismo, apesar de Powell nunca ter previsto que desse experimento nasceria um movimento tão grande e tão organizado. No ano seguinte, ele escreveu o primeiro manual de escotismo, "Scouting for boys" (Escotismo para rapazes), que incentivou muitas pessoas a formar grupos escoteiros - inclusive mulheres.

Educação para a vida toda

Qualquer pessoa pode ingressar no movimento escoteiro, independente da idade e da religião. "O escotismo complementa a educação dada às crianças e aos jovens pela escola e pela família, de um modo não formal. Nele, cada um assume seu próprio desenvolvimento, tornando-se um cidadão consciente de seus deveres e direitos. São ensinamentos que carregamos para a vida toda", resume Jonathan.


Os acampamentos são a chave do método pedagógico escoteiro. "Lá, as crianças e jovens aprendem a se virar. Elas precisam saber usar uma faca, montar sua barraca, se proteger. Ao mesmo tempo, precisam aprender a se organizar, ter disciplina e a trabalhar em grupo, pois cada um tem uma tarefa que, se não for cumprida, atrapalha os demais. Além disso, o próprio contato com a natureza proporciona um enorme aprendizado", explica Jonathan.


A cada quatro anos, os escoteiros realizam encontros mundiais chamados Jamborees. "Não existe nada mais comovente do que ver milhares de jovens de diversos países se comunicando, interagindo, sem nenhuma rivalidade", ressalta Jonathan. Os Jamborees Mundiais reúnem cerca de 40.000 jovens de 160 países.


Todas as atividades dos escoteiros obedecem à Lei Escoteira, que estimula o jovem a ser um cidadão honrado, leal, útil, amigo, cortês, bondoso, obediente, alegre, econômico e limpo.

Lei escoteira

1 - O Escoteiro tem uma só palavra; sua honra vale mais que sua própria vida.

2 - O Escoteiro é leal.

3 - O Escoteiro está sempre alerta para ajudar o próximo e pratica diariamente uma boa ação.

4 - O Escoteiro é amigo de todos e irmão dos demais escoteiros.

5 - O Escoteiro é cortês.

6 - O Escoteiro é bom para os animais e as plantas.

7 - O Escoteiro é obediente e disciplinado.

8 - O Escoteiro é alegre e sorri nas dificuldades.

9 - O Escoteiro é econômico e respeita o bem alheio.

10 - O Escoteiro é limpo de corpo e alma


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Oncologia Ginecológica e GRAACC 09/09/2014 às 09:12:01

Se você é profissional da saúde, este livro lhe interessa.

   
Aprendiz de Maestro 01/09/2014 às 17:39:04

Convide seus filhos para assistir à série O Aprendiz de Maestro, produzida pela TUCCA - uma ONG que dá assistência a crianças com câncer. Ao mesmo tempo em que se divertem, vocês ajudam a quem precisa.

   
Natal solidário 03/12/2007 às 17:42:00

Natal é tempo de alegria e de solidariedade. Conheça algumas campanhas com as quais você e sua família podem colaborar para tornar o Natal de muita gente mais feliz!

   
Solidários desde a infância 05/04/2001 às 16:29:00

Você sai de carro com seu filho. Ao aproximar-se de um sinal, uma criança se aproxima da janela e, rapidamente, você fecha os vidros. Seu filhote fica supreso, parece não entender o que se passa. Como falar de nossos medos? Como explicar o inexplicável?

   
O tal do aquecimento global 19/09/2007 às 09:34:00

Entenda o que é este fenômeno e saiba como você e sua família podem contribuir para evitá-lo.