Sexta-feira, 28 de abril de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Livre dos enjôos

Por Luiza Helena Marcondes *


Enjôos e gravidez estão lado a lado, mas com algumas dicas alimentares você vai minimizar esse problema.

Náuseas, azia e má digestão são problemas comuns durante a gravidez, no entanto, você não precisa continuar sofrendo com eles. Saiba que com uma alimentação adequada e pequenas mudanças durante as refeições você vai tirar de letra todos esses incômodos.

A regra número um para combater esse vilão da digestão é diminuir a quantidade de frituras e gorduras de seu cardápio, além de evitar ingerir líquidos durante as refeições, já que eles aumentam muito o volume do estômago.

Comer várias vezes ao dia - em pequenas quantidades - também irá afastar a incidência de enjôos. Para a nutricionista Fernanda Di Cunto, do Espaço Mammy To Be, em São Paulo, essa é uma boa alternativa para as gestantes, pois a capacidade gástrica diminui durante a gestação e o trânsito intestinal fica mais lento. "Com a ingestão de menor quantidade de alimentos e um menor intervalo entre uma refeição e outra, a digestão fica mais fácil e não há sobrecarga do aparelho digestivo", explica a especialista.

Para reduzir as sensações de má digestão e diminuir o inchaço do estômago é essencial comer muitas fibras - frutas, verduras e vegetais crus ou cozidos - para que o intestino funcione regularmente. "O cardápio da gestante deve ser diferenciado para garantir bem-estar e os nutrientes necessários ao bebê", diz Fernanda. Pelo menos durante a gravidez, diga adeus à frigideira e abuse dos legumes, carnes magras e leite. Além disso, beba muita água para hidratar o corpo e facilitar o funcionamento do intestino.

Por que eu enjôo?

Segundo Fernanda Di Cunto, a tolerância a cada alimento varia de uma pessoa para a outra, mas a alteração da carga hormonal da mulher é fator determinante para o aumento das crises digestivas. A produção excessiva de progesterona causa o relaxamento do esfíncter esofagiano, o que favorece o refluxo do ácido do estômago para o esôfago, ou seja, a azia. Por isso não é indicado deitar logo após as refeições.


Se você precisar repousar logo depois de comer, coloque algumas almofadas para apoiar as costas e manter uma inclinação de pelo menos 60 graus.


Algumas mulheres reclamam de enjôos e náuseas ao acordarem. A queixa chega a ser freqüente e a explicação para o problema é simples: jejum prolongado. "A solução é protelar ao máximo a última refeição", diz Fernanda. Mas lembre-se: o jantar deve ser rico em verduras e legumes, sem gorduras e em pequena quantidade. Depois, dê um tempo antes de se deitar. Ingerir hidratos de carbono, ou seja, bolachas de água e sal, torradas ou pães pela manhã em ajuda e amenizar os problemas matutinos.

Qualidade e quantidade

Em momentos de crises agudas, algumas mulheres não resistem e abusam dos antiácidos (quando são liberadas pelos médicos) para combater a sensação de "queimação" estomacal. "Essa alternativa mostra-se pouco eficaz, pois o efeito é temporário", diz a nutricionista. De acordo com ela, o refluxo gastro-esofágico (azia) volta em seguida, já que a verdadeira causa do problema é o volume reduzido do estômago, incompatível com a quantidade e a qualidade de alimento ingerido.


O melhor mesmo a fazer é cuidar da alimentação. Evite o consumo de doces e refrigerantes. "Bebidas gasosas e adocicadas, que podem conter gordura, distendem o estômago, intensificando a produção de ácido clorídrico, que causa a sensação de queimação", explica a especialista.


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Dicas para proteger seus filhos 26/03/2003 às 13:21:00

Principalmente as grandes cidades oferecem uma série de riscos para nossos filhos. Veja aqui dicas para protegê-los contra alguns problemas, como assalto e seqüestro.

   
Abuso sexual contra crianças 14/08/2004 às 14:27:00

Na grande maioria dos casos de abuso sexual contra crianças, o agressor é um parente ou conhecido da família. O que fazer para evitar essa ameaça que parece tão próxima?

   
Paz em casa 31/07/2002 às 13:46:00

Dicas preciosas da revista Meu Nenê e Família

   
Manual do ficar, especial para pais 17/06/2002 às 15:36:00

Para os pais que não viveram a onda do "ficar".

   
Crianças especiais 05/11/2003 às 13:40:00

Classes regulares aceitando alunos com necessidades especiais já são realidade em algumas escolas. Naturalmente, como em toda reformulação, existem dúvidas dos pais. Será positiva a convivência entre crianças com diferenças mais acentuadas?