Sábado, 29 de abril de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Palavra do especialista, Sexualidade


Minha filha de 5 anos foi surpreendida com uma coleguinha da mesma idade - uma em cima da outra, na cama. As duas correram cada uma para um lado e disfarçaram. Quando ela me contou fiquei em dúvida sobre como deveria proceder. Sei que nessa idade a criança descobre o sexo e já li algumas vezes que é um comportamento "normal?. Mas não sei como me posicionar: Devo comentar o fato com minha filha, fingir que não sei, explicar-lhe alguma coisa? Devo contar para a mãe da outra criança?


Esta é, de fato, uma fase de descobertas e, como você mesma diz ter lido, o comportamento é normal! Quando acontecer de novo, não chame a atenção delas. Procure, simplesmente, um outro centro de interesse. Se quiser, troque uma idéia com a outra mãe, mas sem criar "terrorismo".

É de fato uma fase de descobertas


Minha filha de quatro anos está muito interessada nas diferenças entre meninas e meninos e fica querendo ver o "bibiu" dos garotos. Tenho dois sobrinhos, de seis e sete anos, e noto que eles não têm tanto interesse em sexo como ela. Como orientá-la quando ela pedir para tocar nas partes íntimas dos meninos ou falar que vai namorar com eles?


O interesse pelas diferenças sexuais ou ainda pela sexualidade dos adultos faz parte do chamado período edipiano, com pensamentos e fantasias característicos - como a vontade de namorar com os primos - de mexer no pênis deles etc. Tente desviar a atenção dela criando outro ponto de interesse, sem fazer reprimendas ou escândalos. Talvez os primos estejam menos interessados porque o período edipiano vai até aproximadamente os sete anos. Após essa idade as crianças dirigem sua atenção para outras coisas, como álbum de figurinhas, coleções ou super-heróis, pois entram no chamado período de latência, que dura até a adolescência, quando surge o novo despertar para a sexualidade.


Meu filho e meu sobrinho, ambos de 4 anos, estão descobrindo sua sexualidade. De vez em quando querem se beijar na boca e já os peguei escondidos, um querendo beijar o pipi e o bumbum do outro. Isso é normal?


Nessa fase da descoberta sexual é normal que aconteçam essas brincadeiras. Não existe perversão, nem a definição sexual está pronta, portanto não devemos pensar em homossexualismo. Durante a fase edípica, que dura mais ou menos até os 7 anos, a identidade sexual vai se afirmando e, nessa época, é bom que os meninos tenham momentos exclusivos com seus pais e as meninas com as mães. Não os repreenda, porém crie nessas horas outras brincadeiras. Eles ficarão cientes e sem culpa nem medo da sexualidade.



Meu filho tem 8 anos e aos 6 anos operou a fimose. Atualmente, chamado à atenção por colegas, notou que o tamanho de seu pênis é menor em relação aos amigos e isso o incomoda muito. O que fazer?

Não existe nenhuma relação entre a cirurgia e o tamanho do pênis. Explique para seu filho que o isso não modifica a sua masculinidade. Deixe bem claro que não é o tamanho do pênis que vai fazê-lo mais ou menos homem.


Meu filho de 9 anos aparentemente descobriu a masturbação-ejaculação. Ele já está na idade disso?

A descoberta da sexualidade, da erotização e dos prazeres do corpo é uma absolutamente normal nessa fase. A masturbação se insere nesse contexto. Tranqüilize-se!


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Limites diante da telinha 11/06/2001 às 16:08:00

A televisão é extremamente poderosa e, se os pais não abrirem os olhos, correrão o risco de conviver muito pouco com seus filhos. Quantifique as horas e analise os programas que seu pimpolho está assistindo.E não esqueça que noticiário violento não é prog

   
Palavrões, palavras e palavrinhas 14/02/2001 às 17:12:00

Criança aprende tudo tão rápido! Isso vale para coisas "do bem" e "do mal". De repente seu filho, sem mais nem menos, solta um tremendo palavrão. Após o choque inicial, virão as perguntas inevitáveis: Será que sabe o que está dizendo? Onde aprendeu isso?

   
Manual do ficar, especial para pais 17/06/2002 às 15:36:00

Para os pais que não viveram a onda do "ficar".

   
Como lidar com a erotização precoce 03/05/2001 às 14:46:00

O medo dos pais em deixar seus pequenos com o controle-remoto nas mãos é justificável. Sabe porquê? Alguns programas de televisão estão assustando até os adultos mais liberais.

   
Apatia juvenil, em que medida ela é real 28/08/2002 às 14:55:00

No início da adolescência bate aquela preguiça para tudo. O que fazer para "sacudir" essa meninada? Existem saídas?