Domingo, 23 de abril de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Palavra do especialista, Relacionamento


Tenho um filho de 9 anos que desde os 4 faz ludoterapia devido a dificuldades de relacionamento. Não aceita limites e quando é chamado à atenção não ouve, faz chantagens emocionais e fica muito revoltado quando é castigado. Normalmente, como castigo, tiro videogame e TV. Durante o período de castigo se comporta bem, mas depois começa tudo de novo. O que devo fazer?


A ludoterapia, além de cuidar da criança, tem que estar a serviço dos pais com orientação e estratégia. Acho que vocês deveriam ter encontros mais freqüentes com a terapeuta dele.



Tive contato com meu filho somente após o teste de paternidade. Desde então, saio com ele uma vez por semana. Nesses encontros tento mostrar todo o meu amor e carinho, agradando-o e fazendo todas as suas vontades. Mas agora ele não quer sair mais sozinho comigo, prefere que a mãe nos acompanhe. Quando eu o pego no colo, chora e resiste bastante, mas depois de um tempo fica à vontade. Será que se eu continuar insistindo ele se acostuma e volta a passear sozinho comigo?

A confiança e a segurança não se "vendem". Talvez a criança tenha receio de ficar longe da mãe, que sempre está por perto e o ampara quando precisa. Reflita sobre o assunto: talvez a presença materna, durante os passeios, seja a melhor forma de ganhar a confiança do garoto. Assim ele ficará mais à vontade e poderá brincar e se divertir com você. Com o tempo, tudo irá melhorar. Lembre-se, a figura do pai é muito importante para o desenvolvimento infantil.


Sou separado e minha ex-mulher teve um filho, fruto de outro relacionamento. Depois que o bebê nasceu, ela não se importa mais com nosso filho de 10 anos. Acho que o garoto está revoltado porque a mãe não lhe dá mais atenção. Agora ele não quer mais estudar: falta freqüentemente às aulas e suas notas são péssimas. Eu converso bastante com ele, mas estou me sentido muito desorientado. O que devo fazer?

O problema parece estar nas dificuldades de comunicação entre você e sua ex-mulher. Se os adultos não conseguem entender que a separação é entre eles, ou seja entre marido e mulher e não entre pai, mãe e filho, tudo resulta em confusão. É possível que seu filho realmente esteja revoltado e por isso tire notas baixas para chamar a atenção da mãe, que está preocupada com bebê. Esqueça as mágoas e os problemas da separação e converse com sua ex-mulher para tentar acabar com esses pontos de conflito.


Minha filha de 2 anos fica o dia todo com minha mãe. No final da tarde pego-a para levar para casa, mas há dois dias ela não quer ir, quer ficar com a avó. Como devo me comportar?

Tenha paciência! Sua filha se sente segura e gosta da avó e isso não significa que não goste de você. Se aceitar esse fato sem raiva e sem culpa, a confiança da menina vai aumentar. Deixe-a dormir alguns dias na casa de sua mãe e no fim de semana faça um programa gostoso e divertido com ela. Se ela perceber que você está tranqüila e confiante, reagirá da mesma forma.



Alguns meses após o meu divórcio comecei a namorar. Meus filhos não tiveram problemas com meu atual parceiro, mas desde que o pai deles ficou sabendo do meu novo relacionamento tenta jogar as crianças contra o meu namorado. Magoada com a situação, proibi meu ex-marido de visitar as crianças em casa. Estou agindo de forma correta?


O fundamental é resolver os problemas entre os adultos. Lembre-se que marido e mulher se separam, mas não dos filhos. Resolva as pendências entre vocês e jamais envolva as crianças nessa relação.


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Palavrões, palavras e palavrinhas 14/02/2001 às 17:12:00

Criança aprende tudo tão rápido! Isso vale para coisas "do bem" e "do mal". De repente seu filho, sem mais nem menos, solta um tremendo palavrão. Após o choque inicial, virão as perguntas inevitáveis: Será que sabe o que está dizendo? Onde aprendeu isso?

   
Manual do ficar, especial para pais 17/06/2002 às 15:36:00

Para os pais que não viveram a onda do "ficar".

   
Como lidar com a erotização precoce 03/05/2001 às 14:46:00

O medo dos pais em deixar seus pequenos com o controle-remoto nas mãos é justificável. Sabe porquê? Alguns programas de televisão estão assustando até os adultos mais liberais.

   
Tornando papai mais participativo! 30/07/2001 às 14:39:00

Algumas dicas para você ajudar seu marido a tornar-se mais ativo nas tarefas de casa e no relacionamento com seu filho.

   
Apatia juvenil, em que medida ela é real 28/08/2002 às 14:55:00

No início da adolescência bate aquela preguiça para tudo. O que fazer para "sacudir" essa meninada? Existem saídas?