Sábado, 22 de julho de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Educação sexual para os pequenos

Por Carla Oliveira *


De onde vêm os bebês? O que é sexo? Mais cedo ou mais tarde, seu filho irá bombardeá-lo com perguntas como essas. Você está preparado para respondê-las?

Por volta dos três ou quatro anos, as crianças começam a desenvolver uma certa curiosidade por assuntos que envolvem sexualidade. Uma das maneiras pela qual esse interesse se manifesta é o questionamento constante. É comum que os pequenos passem a fazer muitas perguntas para os pais, como a famigerada "de onde eu vim?".

"Isso é muito natural e faz parte do desenvolvimento da sexualidade de todas as pessoas", afirma o sexólogo Marcos Ribeiro. No entanto, a grande maioria dos pais ainda considera essa situação um tanto constrangedora e não sabe a forma mais adequada de responder a essas questões. Se você faz parte deste time, leia com atenção as dicas abaixo.

Sem enrolação, nem mentiras!

Segundo o sexólogo, os pais devem esclarecer essas dúvidas com naturalidade e objetividade. "A forma como se fala pode ser muito mais importante do que o que se fala", ressalta. Por isso, não perca tempo com explicações desnecessárias ou compridas demais, como se estivesse dando uma aula de ciências. Seja direto! O sexólogo dá um exemplo. Se o menino perguntar: "porque o pênis do papai é maior do que o meu?", responda: "porque o papai é maior. Assim como os braços e as pernas são maiores, o pênis é maior também".

Marcos orienta os pais a tentar descobrir o que realmente as crianças estão querendo saber, pois muitas vezes elas fazem perguntas apenas para testá-los. "Primeiro perguntem o que a criança sabe sobre o assunto e depois complementem as informações que ela já tem", explica.

Esqueça de vez as explicações fantasiosas como "a cegonha trouxe você". Elas podem criar ainda mais confusão na cabeça das crianças, além de serem falsas. Se fizerem isso, os pais estarão educando seus filhos para a mentira. "Quando as crianças perceberem que as explicações dadas pelos pais não correspondem à verdade, certamente vão crescer mais inseguras em relação a eles", destaca Marcos.

Além disso, Marcos alerta para o fato de que tais explicações contribuem para a manutenção do sexo como um tabu. "Se os pais costumam falar do nariz, boca e olhos, porque ter vergonha de falar do pênis ou da vulva?", questiona. Uma educação sexual correta e adequada desde a infância ajuda a prevenir uma série de problemas como a disseminação de doenças sexualmente transmissíveis, gravidez precoce e disfunções sexuais.

"A educação sexual é importante para que não tenhamos no futuro, uma realidade como a que encontramos hoje no nosso país, de um milhão de adolescentes engravidando a cada ano", completa o sexólogo.

Ajuda didática

Os livros infantis podem - e devem - ser usados pelos pais para complementar a educação sexual de seus filhos. "Os pais podem comprá-los e deixá-los pela casa, em cima de uma mesa ou num lugar onde a criança costuma ficar. Ou, então, levar de presente para o filho e dizer que a mamãe ou o papai comprou e acha que ela vai gostar muito", aconselha Marcos.

O sexólogo ressalta que, se os pais puderem ir com a criança até a livraria, permitindo que ela participe da escolha, melhor ainda. Também é importante que os pais leiam o livro com os pequenos e façam comentários, para complementar as explicações e solucionar eventuais dúvidas - deixando de lado a vergonha ou o constrangimento! Veja, a seguir, uma lista com sugestões:

Para as crianças:

"Mamãe, como eu nasci?", de Marcos Ribeiro - Editora Salamandra.

"De onde eu vim?", de Claire Llewellyn e Mike Gordon - Editora Scipione.

"De onde viemos?", de Peter Mayle, Arthur Robins e Paul Walter - Editora Nobel

"De onde vêm os bebês?", de Andrew C. Andry - Editora José Olympio.

"De onde vêm os bebês?", de Ângela Royston - Editora Ática.

"Educação sexual", de Serenella Parazolli - Editora Vozes.

"Mamãe botou um ovo!", de Babete Cole - Editora Ática.

"A origem dos bebês", de Anna Maria Oliveira - Editora Consultor.

"O nosso livro de sexualidade", de Libsa - Editora Caramelo.

Para os pais:

"Papai, mamãe e eu", de Marta Suplicy - Editora FTD.

"As crianças querem saber... e agora?", de Moacir Costa, Maria das Graças F. Augusto e Sandra M. Paladino - Editora Casa do Psicólogo.

"Perguntas que as crianças fazem - e como respondê-las", de Miriam Stoppard ? Editora Globo.

"A educação sexual de nossos filhos", de Luiz Carlos Osório e Ronaldo P. de Souza - Editora Mercado Aberto.


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
O grande reencontro 05/05/2009 às 19:04:00

Em uma grande homenagem ao Dia das Mães, o Clicfilhos conta a você a história de Assílio, que foi separado de sua mãe quando pequeno e, após 30 anos, conseguiu reencontrá-la por meio da Internet.

   
Caminhos para uma boa pesquisa 10/04/2002 às 15:29:00

Para que uma pesquisa renda bons frutos é preciso método, discernimento e foco no assunto. Ensine seu filho a descobrir tesouros numa biblioteca, real ou virtual!

   
Limites diante da telinha 11/06/2001 às 16:08:00

A televisão é extremamente poderosa e, se os pais não abrirem os olhos, correrão o risco de conviver muito pouco com seus filhos. Quantifique as horas e analise os programas que seu pimpolho está assistindo.E não esqueça que noticiário violento não é prog

   
Dicas para proteger seus filhos 26/03/2003 às 13:21:00

Principalmente as grandes cidades oferecem uma série de riscos para nossos filhos. Veja aqui dicas para protegê-los contra alguns problemas, como assalto e seqüestro.

   
Abuso sexual contra crianças 14/08/2004 às 14:27:00

Na grande maioria dos casos de abuso sexual contra crianças, o agressor é um parente ou conhecido da família. O que fazer para evitar essa ameaça que parece tão próxima?