Sábado, 22 de julho de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Entenda de vez a homeopatia

Por Carla Oliveira * em 02/04/2002


Se você procura uma alternativa para os tratamentos médicos "tradicionais", a homeopatia pode ser uma boa opção. Saiba como ela funciona!

Há algum tempo você vinha pensando em consultar um homeopata para tratar daquela velha alergia, mas não tinha certeza se esse tipo de tratamento realmente funcionava, certo? Um dia, resolveu finalmente marcar uma consulta. Lá está você, em frente ao médico, que começa a fazer perguntas como: "Qual o seu prato favorito? Você dorme virado para a esquerda ou para a direita? Como foi a sua infância? Qual o seu maior medo?"


Nessa altura você deve estar pensando: o que será que isso tem a ver com a minha alergia? Calma, antes de sair por aí espalhando que o seu médico está louco, tente entender como funciona a homeopatia e porque estas questões são tão importantes para a cura da sua doença.

Energia vital

A homeopatia foi criada há cerca de dois séculos pelo médico alemão Samuel Hahneman, que constatou, por meio de experimentos, que uma substância que provoca um determinado sintoma em uma pessoa sadia é capaz de curar este mesmo sintoma em uma doente - característica denominada "Lei da Semelhança". Essa substância pode ser desde veneno de cobra até uma planta, que, ao ser transformada em remédio, é diluída infinitas vezes.


Segundo a filosofia homeopática, o homem tem uma força vital responsável pela manutenção da vida e do equilíbrio orgânico. Quando essa força é perturbada, abrem-se as portas para o aparecimento de doenças. Nos remédios homeopáticos estão contidos os poderes energéticos vitais das substâncias, que instigam uma reação do corpo contra esse desequilíbrio, levando à cura.


Tudo o que diz respeito a uma pessoa exprime o estado de sua força vital: características físicas, desejos, sentimentos, experiências sofridas, questões familiares, hábitos, entre outras coisas. Por isso o tratamento homeopático é tão personalizado. O médico tem a função de desvendar essas características e descobrir o remédio mais adequado para cada pessoa. O foco dos medicamentos homeopáticos não é a doença, mas sim o doente. Por isso dois indivíduos portadores da mesma doença podem ser tratados de formas diferentes. Isso explica porque uma consulta homeopática dura, no mínimo, uma hora.

Desenvolver resistência

Na medicina alopática, o paciente busca um médico especializado para a cura do seu problema, como um gastroenterologista ou um dermatologista. Já o médico homeopata tem uma formação generalista, atende a todo tipo de moléstia. A homeopatia vê o homem como um todo: corpo, mente e alma. Para a estudante de arquitetura Marina Vianna, que se trata com homeopatia desde que nasceu, essa é maior vantagem sobre a medicina dita tradicional: "A homeopatia não é um tratamento superficial, não resolve apenas os sintomas", defende.


Um dos princípios da homeopatia é não interferir nos mecanismos de defesa do paciente. O objetivo é que seu organismo aprenda a lutar sozinho contra as infecções e se torne cada vez mais resistente. "Enquanto o modelo alopático trata a doença pelos seus sintomas, na visão homeopática é necessário, em primeiro lugar, entender o significado da doença para o paciente e porque ele está reagindo dessa forma", explica o homeopata Pedro Ozzi.



Os homeopatas afirmam que, se apenas os sintomas forem tratados, isso dará a impressão de que o corpo se recuperou quando, na verdade, continua doente, o que pode ser muito prejudicial. "Se as reações de defesa do organismo - como alergias, resfriados, diarréias ou febre - são suprimidas, há um risco de gerarem complicações piores, já que o corpo está com a imunidade baixa", alerta o Dr. Pedro.

Será que funciona?

Muitas pessoas reclamam que a homeopatia não parece eficaz, já que os sintomas nem sempre desaparecem num espaço curto de tempo. De fato, quem deseja se submeter a esse tipo de tratamento deve ter um pouco de paciência, pois, segundo os princípios homeopáticos, o mais importante é acabar com os fatores que predispõem o aparecimento da doença, de forma duradoura - isso certamente leva mais tempo do que tomar uma aspirina e, quinze minutos depois, estar livre da dor de cabeça.


A própria comunidade médica rejeitou a homeopatia durante muito tempo, pois havia poucos estudos científicos comprovando sua eficácia. Mas, desde 1980, ela já é reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina como especialidade médica e sua procura vem crescendo cada vez mais. "É melhor do que ficar tomando um monte de remédios e intoxicando o organismo", garante Marina Vianna.


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Gripe: com ou sem vacina? 26/04/2001 às 15:59:00

No começo, tosse e espirros. Depois, dor de garganta e mal-estar. Com a mudança de estação os casos de gripe começam a aparecer. Fique atento!

   
Família e aprendizagem 02/04/2002 às 13:45:00

A dificuldade em aprender, que pode estar na base do fracasso escolar, nunca depende de um único fator. Mas saiba que a dinâmica familiar pode contribuir para esse quadro.

   
Cabeça feita contra a AIDS 08/04/2002 às 13:34:00

Atualmente os jovens são as maiores vítimas da Aids. A imaturidade, aliada à falta de informação, é um dos fatores que contribui para essa situação.

   
Princípios da Musicoterapia 27/12/2011 às 11:49:10

Princípios em que se fundamenta a musicoterapia, de acordo com Maristela Smith - Anexo do artigo A cura através da música

   
A cura através da música 27/09/2004 às 12:02:00

A musicoterapia é aplicada no tratamento de inúmeros problemas e doenças, desde timidez até câncer. Entenda como ela funciona!