Quarta-feira, 26 de julho de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Um bicho em sua casa

Por Célia Svevo *


Animais domésticos são adoráveis e trazem muita alegria às crianças. Fazem companhia, estimulam o senso de responsabilidade, mas exigem cuidados. Confira.

"Meu filho sempre foi louco por cães, desde bem pequeno. Mas, como morávamos em apartamento - e eu não queria privá-lo de ter um bicho-, tratei de arranjar vários outros, por achar que dariam menos trabalho. De coelho, peixes a lagartos, tivemos de tudo. Hoje temos uma linda cachorrinha que, por ser muito bem-educada, traz um grande prazer à nossa família."

Celia Svevo, jornalista

Seu filho anda implorando para ter um animal doméstico? Ótimo, um bichinho traz muito prazer e alegria para todos, principalmente para as crianças. Eles são bons companheiros, mas precisam de muitos cuidados, como todos os seres vivos. Por isso, antes de ceder à vontade de seu pequeno, pense duas vezes. O sonho pode se transformar em pesadelo se você não tiver absoluta certeza de que realmente quer um bicho dentro de casa.


"Prometo que vou cuidar dele" é a frase que sempre antecede ao apelo da criança quando ela deseja ter um animal. Fique esperta e, antes de tomar qualquer decisão, tenha em mente que a maior parte do trabalho vai sobrar mesmo para você. Principalmente enquanto seus filhos forem pequenos.

Confira, neste roteiro, algumas das características e necessidades das espécies mais solicitadas.


Cachorros, sem dúvida, ocupam o primeiro lugar na preferência das crianças. São alegres, amigos, grandes companheiros. Mas não esqueça: esses seres maravilhosos precisam de companhia e exigem cuidados permanentes. Antes de escolher a raça, leve em conta o tamanho de seu quintal - ou do apartamento - e o temperamento do animal. Para quem tem muito espaço, a gama de opções é grande, mas boxers e labradores são especialmente amorosos, portanto superindicados para quem tem crianças pequenas. Se você mora em apartamento, prefira cães de porte pequeno, como maltês, poodle, bassê ou até mesmo um cocker spaniel, se tiver disposição para escová-lo todos os dias. Compre um animal de boa procedência - num canil ou em pet shops, jamais em feiras. Assim você terá a certeza de estar adquirindo um bicho saudável. O veterinário saberá indicar a ração adequada a cada raça, de acordo com a idade e o porte do cão. E não se esqueça de manter em dia a vacinação.


Gatos são limpos, independentes e normalmente de fácil convivência com os pequenos. Principalmente os das raças persa e birmanês, mais dóceis que os outros. Certifique-se antes, se possível, de que seu filho não seja alérgico ao pêlo do animal. Isso pode acontecer com algumas crianças. A vantagem dos gatos sobre os cachorros é que eles podem ficar sozinhos por períodos mais longos, até mesmo um fim de semana, desde que você deixe à disposição do animal água e ração necessários para esse período. Os veterinários recomendam que sejam castrados: eles ficam mais dóceis e perdem a vontade de escapulir pelas portas e janelas.


Peixes ornamentais praticamente não dão trabalho. Um aquário bem montado - de preferência de água doce - não vai alterar sua rotina e você não terá de se preocupar com a limpeza diária. Prefira espécies resistentes, para começar, e cuide para que as raças escolhidas convivam bem entre si. A dimensão do aquário vai depender do tamanho do cardume. Informe-se na hora de comprar. O equipamento é importante: filtro, oxigenador e aquecedor de água (para os dias mais frios), além dos pedriscos para forração, normalmente são suficientes para a saúde dos peixes. As rações não costumam ser caras e devem ser dadas em pequena quantidade, duas vezes por dia.


Hamsters são roedores muito espertos, e as crianças os adoram. Mas devem ficar permanentemente presos em suas gaiolas, munidas de "equipamentos" de exercício: são rodas giratórias nas quais eles correm loucamente, principalmente à noite. Comem ração especial, gostam de cenoura, alface e adoram sementes de girassol. A gaiola deve ser limpa e desinfetada todos os dias, caso contrário o cheiro pode ficar insuportável. Evite ter dois da mesma espécie na gaiola: se forem machos, poderão brigar. Se for um casal, você terá, em pouco tempo, uma prole considerável de bichinhos.


Animais exóticos, como iguanas e pequenos lagartos, estão muito em voga. Mas, se seus filhos ainda são pequenos, não ceda à tentação: muitos deles transmitem doenças e não vale a pena arriscar. Crianças acima de 12 anos, mais responsáveis, são capazes de tomar os cuidados de higiene necessários. E lembre-se: a maior parte desses bichos silvestres só pode ser vendida com o certificado de legalização do Ibama.


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Animais, alegria para toda a família 06/11/2001 às 15:33:00

Animais de estimação oferecem carinho e companhia, ajudando até a curar a depressão. Quem resiste?

   
Toxoplasmose na gravidez, um risco para o bebê 26/04/2002 às 15:37:00

Conhecida como "doença do gato", a toxoplasmose é uma doença extremamente grave para o feto. Aprenda o que fazer e como se prevenir!

   
Rinite alérgica, um espirro atrás do outro 19/05/2003 às 12:38:00

Vida de alérgico não é fácil! Aprenda porque acontecem as crises e o que fazer para evitá-las.

   
Ajude seu filho a superar medos e dificuldades 11/08/2003 às 14:13:00

No dia-a-dia, as crianças enfrentam muitas situações difíceis, como a insegurança diante de uma prova complicada ou a tristeza por ter recebido um apelido maldoso dos colegas. Como ajudá-las a enfrentar tudo isso?