Sexta-feira, 28 de abril de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

O que é estrabismo

Por Dr. Mauro Plut * em 12/06/2001


Se os olhos de seu filho apontam para direções diferentes, procure um oftalmologista. Ele pode ter estrabismo e deve ser tratado.

Em condições normais ambos os olhos miram sempre o mesmo objeto. Deste modo, imagens idênticas formam-se em ambas retinas (na parte de trás dos olhos) e são transmitidas pelos nervos ao cérebro, onde se fundem em uma única imagem. Esta fusão proporciona a percepção de visão em profundidade ou em 3 dimensões. Quando os olhos não estão alinhados, isto é, quando os olhos estão apontados para direções diferentes, denomina-se estrabismo.


O estrabismo é uma afecção comum que atinge de 2 a 5% das crianças em idade pré-escolar. No estrabismo um olho permanece alinhado, enquanto o outro pode ter desvio convergente, divergente ou desvio vertical (quando um olho encontra-se mais alto, ou mais baixo, que o outro). O desvio pode ser constante (sempre evidente) ou intermitente (às vezes olhos alinhados e outras com desvio).

Causas e sintomas

A verdadeira causa dos estrabismos, na maioria das vezes, não é conhecida. Sabe-se que os desvios oculares podem surgir em determinadas famílias e serem hereditários. Entretanto, o estrabismo pode aparecer em crianças que não têm história familiar da doença. Hipermetropia alta pode ser responsável pelo estrabismo em muitas crianças.


Os movimentos oculares são controlados pelo cérebro. Assim, crianças com problemas neurológicos como paralisia cerebral, Síndrome de Down ou hidrocefalia freqüentemente têm estrabismo.

O principal sinal do estrabismo é quando os pais percebem que o olho não está alinhado. Eles referem que "o olho não acompanha", "o olhar fica parado" ou que "o olho está torto". A criança pode fechar um olho para tentar enxergar ou na claridade. Algumas podem apresentar torcicolo ou inclinação da cabeça.


A primeira conseqüência ao aparecimento do estrabismo é a formação de imagem diferente no olho desviado, impedindo a visão normal e prejudicando a visão tridimensional. A visão binocular mal desenvolvida na infância permanece imperfeita por toda a vida. A visão tridimensional é de grande importância para o trabalho de cirurgiões, pilotos, artesãos, etc.

Aparência estética comprometida

O estrabismo provoca também um defeito estético que pode causar diminuição da autoconfiança, ou ainda, impedir o indivíduo de alcançar níveis profissionais que requerem boa aparência pessoal. Após a correção do desvio, a melhora da aparência estética pode corrigir atitudes, melhorar o desempenho e qualidade de vida do indivíduo.


A principal, e mais grave, consequência do estrabismo que ocorre na infância é a diminuição da acuidade visual do olho desviado. Esta baixa de acuidade visual é denominada ambliopia ou popularmente "olho preguiçoso". Alinhamento normal de ambos os olhos, durante a infância, permite o bom desenvolvimento da visão em cada olho.


Quando se inicia um desvio ocular na infância, o primeiro sintoma apresentado pela criança é visão dupla ou diplopia. Este sintoma é extremamente incômodo e, em pouco tempo, o cérebro da criança apaga a imagem do olho desviado. Esta supressão provoca a perda da visão binocular e gradativamente a visão do olho desviado vai diminuindo, tornando-se amblíope. A ambliopia ocorre em aproximadamente 50% das crianças com estrabismo.

Diagnóstico e tratamento

Alguns pais têm a falsa impressão de que o estrabismo pode se curar sozinho ou que está melhorando. É importante salientar que estrabismo não se cura sozinho ou melhora com o tempo.


Qualquer queixa ou dúvida em relação aos olhos da criança deve ser apresentada ao pediatra. Toda criança deve passar por exame oftalmológico de rotina entre os 2 e 3 anos de idade e toda criança com alteração ocular deve ser encaminhada para exame oftalmológico completo em qualquer idade. Nunca é cedo demais para um exame oftalmológico. Quanto mais precoce for o diagnóstico e o tratamento do estrabismo melhor será o resultado.


Os objetivos do tratamento são: preservar a visão, alinhar os olhos e restituir a visão binocular. Depois do exame oftalmológico completo o oftalmologista indicará o tratamento adequado, levando em conta a causa e o tipo do desvio. O tratamento do estrabismo inclui óculos, oclusão (tampão) ou cirurgia.


* Dr. Mauro Plut é oftalmo-pediatra do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Fellow em Oftalmologia Pediátrica na Universidade de Connecticut (EUA) e Mestre Oftalmologia pela Escola Paulista de Medicina.


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Limites diante da telinha 11/06/2001 às 16:08:00

A televisão é extremamente poderosa e, se os pais não abrirem os olhos, correrão o risco de conviver muito pouco com seus filhos. Quantifique as horas e analise os programas que seu pimpolho está assistindo.E não esqueça que noticiário violento não é prog

   
Sol na medida certa 29/01/2001 às 14:13:00

O sol faz bem à saúde, mas nada de exageros. Nem muito nem tão pouco. Conheça os segredos para manter a pele de seu filhote bem cuidada e longe das agressões das queimaduras.

   
Como lidar com a erotização precoce 03/05/2001 às 14:46:00

O medo dos pais em deixar seus pequenos com o controle-remoto nas mãos é justificável. Sabe porquê? Alguns programas de televisão estão assustando até os adultos mais liberais.

   
Um presente para os olhos! 12/12/2000 às 16:33:00

O Natal está se aproximando. Ruas e shoppings já estão vestidas para o Papai Noel! Este ano as luzes estão menos intensas, mas os enfeites continuam lindos!

   
Para comer com os olhos e com chantilly 09/08/2012 às 17:49:48

Crianças a partir dos 7 anos vão aprender arte e culinária de uma só vez em evento organizado pela arte educadora Renata Sant'Anna