Quarta-feira, 24 de maio de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Alimente a auto estima de seu filho!

Por Beatriz Luna *


Pequenos gestos do dia-a-dia podem ajudar as crianças a serem mais seguras e confiar em si mesmas. Você pode ajudar!

"Somos os heróis da nossa própria história" (Mary McCarthy)


O mundo está preocupado com auto-estima das crianças. Percebo que tanto nos Estados Unidos quanto no Brasil os especialistas estão escrevendo e debatendo com freqüência sobre o assunto, que é mais sério do que muitos imaginam. Só para citar um exemplo, uma conseqüência da baixa auto-estima pode ser, entre várias outras, o ingresso no mundo das drogas.


Os pais mais informados estão realmente preocupados com a auto estima de seus filhos, pois já se deram conta de que o emocional bem resolvido determina o sucesso na vida em praticamente todas áreas . E nós, pais, nos sentimos sempre responsáveis por tudo aquilo que acontece na vida de nossos filhos. É óbvio que se alguma coisa não vai bem a culpa recai sempre na mãe ou no pai...

O que quer realmente dizer auto-estima?

Segundo o conceito de duas americanas especialistas em educação, Deb Kratz e Shelley Butler, autoras do livro The Field Guide to Parenting (Chandler House Press)** auto-estima é a habilidade que uma pessoa tem para se sentir valorizada e amada. De acordo com elas, o processo de desenvolvimento da auto-estima começa desde o momento em que a criança nasce e continua durante toda a sua vida.


As especialistas dizem que os pais são bons exemplos para seus filhos. Quando são bem resolvidos psicologicamente, as crianças costumam seguir o mesmo caminho. Importante lembrar que uma boa auto-estima não significa ser egoísta ou se achar o melhor. Com esse raciocínio você está apenas se valorizando.

Dicas para o dia-a-dia:

  • Mesmo que seu filho seja um bebezinho, comece a "trabalhar" por ele e aplauda qualquer de seus gestos: a gargalhada, o engatinhar, o sucesso quando alcança um objeto. Não economize nos elogios!


  • Se seus filhos são como os meus, certamente adoram desenhar. Pendure alguns dos desenhos deles em seu quarto, na cozinha, no escritório ou mesmo na porta da geladeira. Isso também significa um aplauso!


  • Quando seu filho estiver tristonho tire da gaveta as fotos ou os vídeos das festinhas de aniversário. Nessas ocasiões ele é sempre o centro das atenções e irá se dar conta de como é querido.


  • Ensine a seu filho o famoso "amar a si próprio": sente-se com ele e peça que escreva uma lista das qualidades que aprecia nele mesmo. Depois solicite que relacione as partes mais bonitas do próprio corpo. Em seguida sugira que faça uma lista dos amigos. Nessa brincadeira produtiva você pode incluir sentimentos, habilidades, talentos, etc.


  • Pergunte por que motivo os amigos gostam dele: uma série de qualidades certamente será verbalizada.


  • EU sou capaz!!! EU posso!!! Ensine seu filho a confiar no próprio taco!


  • Estimule as crianças a escreverem um diário contando as experiências positivas que já vivenciaram!


    Acredite: com essas atitudes simples, a criança adquire força. Então, seja sempre positiva!


    * Beatriz Luna é jornalista e mãe de três filhos pequenos.


  • Comentário:    
           

    Matérias relacionadas

       
    Dicas para proteger seus filhos 26/03/2003 às 13:21:00

    Principalmente as grandes cidades oferecem uma série de riscos para nossos filhos. Veja aqui dicas para protegê-los contra alguns problemas, como assalto e seqüestro.

       
    Abuso sexual contra crianças 14/08/2004 às 14:27:00

    Na grande maioria dos casos de abuso sexual contra crianças, o agressor é um parente ou conhecido da família. O que fazer para evitar essa ameaça que parece tão próxima?

       
    O fantástico mundo dos canhotos 25/08/2006 às 10:59:00

    Eles levantam com o pé esquerdo, mas não é porque são azarados. Conheça as dificuldades e as vantagens de ser canhoto.

       
    Paz em casa 31/07/2002 às 13:46:00

    Dicas preciosas da revista Meu Nenê e Família

       
    Manual do ficar, especial para pais 17/06/2002 às 15:36:00

    Para os pais que não viveram a onda do "ficar".