Quinta-feira, 14 de dezembro de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Shantala, um ritual de carinho

Por Luiza Helena Marcondes * em 23/08/2001


Bebê tranqüilo, relaxado, com sono estável e livre de cólicas. Conseguir tais benefícios não é tão difícil assim. Acompanhe, passo-a-passo, os movimentos de uma massagem que opera verdadeiros milagres!

Você já deve ter ouvido falar sobre shantala. Talvez saiba que é um tipo de massagem própria para bebês, mas será que você conhece exatamente a sua função? Essa arte milenar é originária da Índia e, acredite, pode melhorar a saúde e o bem estar de seu filhote além de estreitar, ainda mais, o vínculo entre vocês.


A shantala foi trazida para o ocidente pelo médico obstetra francês Frédérick Leboyer. Numa viagem a Calcutá, ele ficou fascinado ao observar uma jovem que massageava seu bebê. Apesar de fazer parte de um cenário de miséria e fome do povo indiano, Leboyer constatou que essa criança era sadia e gordinha. Tratou logo de aprender os princípios da massagem, e batizou-a com o nome da jovem mãe, Shantala.

De volta às sensações útero

A shantala é tão importante para os pais quanto para a criança, pois proporciona uma enorme interação e uma grande troca de afeto entre eles. Para o bebê, o toque traz a lembrança dos movimentos intra-uterinos, quando o líquido amniótico que envolvia o feto o massageava com pequenas contrações. Ao ser tocada novamente, a criança redescobre esse prazer e se sente segura e protegida. Afinal, no útero estava longe de qualquer perigo.


Para os pais, o momento é extremamente importante. São minutos preciosos, nos quais quem está realizando a massagem pode conversar, brincar e conhecer melhor o filho. Ao ser tocado, o bebê percebe o quanto é amado. Isto desperta a confiança do pequeno, relaxa, acalma e ainda alivia cólicas e reduz as prisões de ventre.

Suaves toques de amor

Reserve pelo menos 20 minutos do seu dia para se entregar a esse intenso prazer. Esqueça o agito e os problemas do dia-a-dia e concentre-se em seu bebê. Dê um tempo para vocês dois. Durante alguns preciosos minutos, vocês estarão interagindo e conversando por meio de gestos e olhares.


A seguir, a psicoterapeuta e terapeuta corporal Nádima Guimarães Scheneider, de São Paulo, ensina, passo-a-passo, os movimentos básicos da shantala.


1. Separe uma fralda de pano, um tapete pequeno e um pouco de óleo de lavanda ou de calêndula para passar em suas mãos enquanto realiza a massagem. Dispense o óleo de amêndoas, que é muito oleoso e mais dificilmente absorvido pela pele do bebê.


2. Sente-se sobre o tapete com as pernas bem esticadas e mantenha a coluna ereta. Quando realizar a massagem, procure vestir shorts ou bermuda curta para que a criança tenha contato com sua pele e possa sentir o calor de seu corpo. Evite sentar-se diretamente sobre o piso para não resfriar suas pernas e passar friagem ao bebê.




3. Coloque a fralda sobre suas pernas e deite a criança, de barriga para cima, sobre elas. A massagem deve ser feita com o bebê nu para que todo o corpo possa ser tocado. Às vezes, quando a criança está totalmente relaxada, pode urinar e até evacuar, por isso mantenha a fralda sobre as pernas.



4. Dê início à shantala pelo rosto, tocando-o aos poucos. Com as mãos abertas massageie a face da criança, sempre esticando a pele. Comece pelo centro do rosto e deslize em direção às orelhas. Repita o movimento três vezes. Você está alongando a musculatura do rosto de seu bebê.



5. Agora espalhe um pouco de óleo em suas mãos e massageie o peito da criança. Comece pelo centro do tórax e deslize para as laterais. Aproveite a oportunidade para alongar e "abrir" os ombros do bebê que estão meio curvados. Faça, também, movimentos de cima para baixo. Uma das mãos você mantém próximo ao pescoço de seu filho e com a outra deslize em direção ao ventre do pequeno como se quisesse esvaziá-lo.




6. Concentre-se, agora, na barriga. Com a mão aberta, faça movimentos circulares, sempre em sentido horário. Esse tipo de toque aumenta o trabalho intestinal e previne cólicas e prisões de ventre.



7. Vire o bebê de lado para trabalhar os braços. Com uma de suas mãos segure o braço do bebê bem esticado. Com a outra mão aberta, encaixe seu polegar na axila da criança e feche os outros dedos formando um canudo. Massageie o bracinho de seu filho como se o estivesse rosqueando. Faça o movimento até chegar na mão do pequeno. Agora alongue a mãozinha esticando os dedos. Vire seu filho do outro lado e repita o movimento.



8. Nas pernas, você vai proceder da mesma forma. Comece pela virilha e desça até os pés. A massagem nos membros estimula o sistema nervoso e as articulações deixando seu filhote mais preparado para engatinhar e começar a andar.



9. Vire a criança de bruços para massagear as costas. Partindo do centro, estique a musculatura no sentido das laterais como se estivesse passando roupa. Posicione as duas mãos próximas à nuca do bebê e deslize em direção às nádegas. Repita o mesmo movimento em sentido contrário.


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Dicas para proteger seus filhos 26/03/2003 às 13:21:00

Principalmente as grandes cidades oferecem uma série de riscos para nossos filhos. Veja aqui dicas para protegê-los contra alguns problemas, como assalto e seqüestro.

   
Abuso sexual contra crianças 14/08/2004 às 14:27:00

Na grande maioria dos casos de abuso sexual contra crianças, o agressor é um parente ou conhecido da família. O que fazer para evitar essa ameaça que parece tão próxima?

   
Paz em casa 31/07/2002 às 13:46:00

Dicas preciosas da revista Meu Nenê e Família

   
Manual do ficar, especial para pais 17/06/2002 às 15:36:00

Para os pais que não viveram a onda do "ficar".

   
Crianças especiais 05/11/2003 às 13:40:00

Classes regulares aceitando alunos com necessidades especiais já são realidade em algumas escolas. Naturalmente, como em toda reformulação, existem dúvidas dos pais. Será positiva a convivência entre crianças com diferenças mais acentuadas?