Sábado, 19 de agosto de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Palavra do especialista, Depressão



Meu filho de 2 anos é alegre, sorridente, feliz. Entretanto, minha esposa tem Síndrome do Pânico e toma medicamentos fortes, que a derrubam boa parte do dia. Ela está muito triste, pois meu filho não quer ficar com ela. Como ela fica muito tempo dormindo, ele evita até de entrar em nosso quarto. Às vezes, acordando de madrugada, ele me procura. Minha esposa acorda para acudi-lo, mas ele grita ainda mais, me chamando. Estou muito aflito, pois a auto-estima de minha esposa está cada vez pior. Para tentar melhorar a situação, ela decidiu ir para a casa de sua mãe, mas parece que meu filho fica muito irritado até com a vovó. Quando eu chego, ele faz festa. Até eu fico sem jeito, pois todos acham que eu estou tirando o filho de minha esposa. Não sei mais o que fazer!


O comportamento do menino é coerente, já que percebe que, pela medicação, a mãe não se relaciona com ele como (tenho certeza!) os dois gostariam. Por outro lado sua mulher tem que fazer o tratamento! Sugiro discutir com o profissional que cuida dela uma mudança ou diminuição na dose da medicação. Por outro lado, pode ser importante que sua esposa também procure ajuda psicológica. Você é uma figura importante para ela e para seu filho. Não se sinta culpado. Aprenda que entre o ideal e o possível, a gente deve sempre optar por fazer o possível.

Meu filho de 2 anos anda deprimido, sem vontade de brincar. Estou trabalhando muito e com pouco tempo para ficar com ele. Acredito que essa seja a causa da depressão.

Seu filho pode estar muito triste, sentindo falta do contato com você e assim apresentando diversos sintomas, Tente, na medida do possível, mudar um pouco os horários, brinque bastante com ele e mantenha um contato bem próximo com o menino. É possível que ele melhore apenas com essas alterações. Se não der resultado, sugeriria que você o levasse a um psiquiatra ou psicólogo para um diagnóstico.


Sou viúva há 8 meses e tenho 2 meninos, um de 5 anos e outro de 2. Meu marido era um pai muito presente e deixou uma lacuna enorme em nossas vidas. Meu filho mais velho é o que mais sofre: ele ainda não sabe lidar com a saudade e sempre pede para o pai voltar. Nós conversamos sobre o assunto, mas a falta de uma presença masculina em casa é muito grande. Ele comentou comigo que o pai era o único adulto que brincava com ele e dava risadas. O que posso fazer para diminuir a tristeza das crianças?

Em nossa cultura a morte é uma condição de difícil aceitação. Mesmo assim as crianças devem saber da verdade. Trate os pequenos como seres pensantes, inteligentes e sensíveis. Eles têm todo o direito de sentir dor, tristeza e saudade. É normal levar, em média, um ano para conseguir elaborar o luto. Devemos agir honesta e respeitosamente com as crianças e, acredite, podemos aprender muito com elas. Seus filhos precisam ter claro, no coração, que o pai que brincava e dava risadas não voltará mais. Cada família tem suas crenças, por isso as respostas sobre o tema não são universais. Use as que você acredita, sem induzi-los a pensar que o pai está em algum lugar de onde possa voltar. A atitude que você teve de conversar com eles foi extremamente importante. Continue mantendo um diálogo com os pequenos.


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Palavrões, palavras e palavrinhas 14/02/2001 às 17:12:00

Criança aprende tudo tão rápido! Isso vale para coisas "do bem" e "do mal". De repente seu filho, sem mais nem menos, solta um tremendo palavrão. Após o choque inicial, virão as perguntas inevitáveis: Será que sabe o que está dizendo? Onde aprendeu isso?

   
Como lidar com a erotização precoce 03/05/2001 às 14:46:00

O medo dos pais em deixar seus pequenos com o controle-remoto nas mãos é justificável. Sabe porquê? Alguns programas de televisão estão assustando até os adultos mais liberais.

   
Apatia juvenil, em que medida ela é real 28/08/2002 às 14:55:00

No início da adolescência bate aquela preguiça para tudo. O que fazer para "sacudir" essa meninada? Existem saídas?

   
Você sabe onde está o seu filho? 27/04/2011 às 14:41:39

Seu filho adolescente saiu para uma “balada” com os amigos – como você lida com isso?

   
Doença grave na família, como ficam as crianças 04/07/2003 às 17:30:00

O que dizer às crianças quando um parente querido - ou mesmo um grande amigo - adoece gravemente? Como elas irão reagir? Clique aqui para saber.