Domingo, 23 de abril de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Bebê a bordo, problemas durante a gravidez

Por Julienne Gananian * em 18/07/2001


Você está grávida e esperando um lindo bebê. Conheça alguns probleminhas que podem ocorrer durante a gestação e aprenda a lidar com eles.

A futura mamãe nem sempre precisa sofrer com os problemas que ocorrem durante a gravidez. Alguns cuidados na alimentação e exercícios físicos ajudam a evitar ou minimizar o efeito dos enjôos, do inchaço nas pernas, da azia, permitindo uma gestação mais tranqüila.


Não esqueça, porém, de que o acompanhamento médico e um pré-natal rigoroso são fundamentais para orientá-la de forma correta, prevenindo possíveis doenças e tratando as que já existem.

Os incômodos campeões: enjôo, azia, varizes e intestino preso

O problema mais comum durante a gravidez, que pode aparecer desde o comecinho e que incomoda muitas mulheres, é o enjôo. "Ele está ligado a um hormônio que a mulher fabrica no início da gestação e que vai diminuindo depois do segundo mês", explica o Dr. Nelson Schor, ginecologista e obstetra em São Paulo. Ele afirma que alguns tipos de enjôo são patológicos, persistindo durante toda a gravidez. Nesses casos, a mulher vomita muito e acaba ficando doente, tendo que tomar alguns medicamentos para se sentir melhor.


Se quiser amenizar este problema, a futura mamãe deve cuidar da alimentação, da seguinte forma:

  • evitando refeições pesadas e o excesso de doces;

  • bebendo bastante líquido, mas ficando longe dos que contenham cafeína (como café, alguns refrigerantes, chá ) e álcool;

  • alimentando-se de maneira leve e saudável, dando preferência às frutas, saladas e carnes brancas;

  • fazendo pequenas refeições, várias vezes durante o dia.



    Azia

    "Aproximadamente 50% das gestantes têm azia. Geralmente começa após a 14ª semana de gestação e tende a piorar até o parto" alerta o Dr. Schor. Para evitar a sensação de "queimação", fique longe das refeições pesadas e volumosas e não deite logo depois de comer.


    Alimentos picantes ou que fermentam muito (feijão, grãos) e bebidas alcoólicas agridem o estômago, então fuja deles!


    Pernas pesadas e varizes

    Durante a gravidez as varizes se formam devido ao aumento do útero e às alterações hormonais. Isso prejudica a volta do sangue das pernas para o coração e faz com que as mulheres sintam seus pés e tornozelos inchados.


    Para melhorar ou evitar esse problema deve-se beber muita água e estimular a circulação com exercícios físicos diários, principalmente as caminhadas. "Se você permanecer sentada ou em pé por muito tempo, exercite os pés e as pernas, movimentando-os. Usar meias elásticas também ajuda bastante" aconselha o Dr. Schor.


    Constipação

    Mais conhecida como prisão de ventre ou intestino preso, a constipação melhora se o cardápio for alterado, por meio do aumento da ingestão de fibras. Trate de comer muitas verduras e legumes e lembre-se de beber bastante água.


    O médico poderá indicar, caso a dieta não funcione, formulações em forma de comprimidos ou geléia que contenham uma grande quantidade de fibras.

    Diabetes e hipertensão gestacionais

    O diabetes resulta de uma deficiência do organismo em produzir ou utilizar um hormônio chamado insulina. Como conseqüência, os níveis de açúcar no organismo aumentam. "No diabetes gestacional, provocado por hormônios produzidos pela placenta, a mulher fica diabética só durante a gravidez, depois a doença desaparece", afirma o obstetra. Dessa forma, a mamãe diabética deve consultar seu médico, que indicará uma alimentação adequada e exercícios físicos. Os valores de açúcar no sangue serão controlados e a saúde do bebê estará protegida.



    Já a doença hipertensiva específica da gravidez ocorre a partir da 20ª semana e a mulher fica com a pressão alta apenas durante esse período. "Como o problema é extremamente grave para a futura mamãe e para o bebê, deve ser tratado para garantir que a criança não nasça pequena, com insuficiência respiratória ou com outros males", alerta o obstetra.


    É aconselhável medir a pressão regularmente (pelo menos uma vez por semana) e informar o médico sobre qualquer alteração.

    Infecções vaginais

    As mamães devem se proteger contra as infecções vaginais. "Higiene é fundamental. Antes de tudo deve-se lavar bem a região, com água e sabão", ressalta o Dr. Schor. Os médicos normalmente recomendam desinfetantes especiais para proteger a vagina da mulher. Se as infecções não forem tratadas, as chances de ruptura da bolsa serão maiores, levando ao parto prematuro.

    Aborto espontâneo

    Ocorre quando se perde o embrião de uma forma que não depende do controle da mãe ou do médico. "O abortamento inicial, que ocorre com mais freqüência, acontece antes da 10ª semana de gestação. Ele está ligado à união do óvulo e do espermatozóide, que pode resultar numa mal-formação do ovo", explica o Dr. Schor. Dessa forma, o próprio organismo impede que um feto mal formado se desenvolva, expelindo-o naturalmente.


    Outros abortos acontecem devido à mal-formação de útero, a problemas hormonais ou ainda resultantes de um ovo doente devido a problemas genéticos. "As mulheres que tiverem mais de três abortos devem consultar um geneticista, que fará um estudo para detectar o problema e descobrir o percentual das chances de aborto daquele casal", conclui o Dr. Schor.


  • Comentário:    
           

    Matérias relacionadas

       
    Problemas todos temos 11/07/2002 às 14:11:00

    Dificuldades em casa: ansiedade, medo, vergonha de partilhar? Quando e por que abrir o jogo na escola?

       
    Dicas para proteger seus filhos 26/03/2003 às 13:21:00

    Principalmente as grandes cidades oferecem uma série de riscos para nossos filhos. Veja aqui dicas para protegê-los contra alguns problemas, como assalto e seqüestro.

       
    Paz em casa 31/07/2002 às 13:46:00

    Dicas preciosas da revista Meu Nenê e Família

       
    Manual do ficar, especial para pais 17/06/2002 às 15:36:00

    Para os pais que não viveram a onda do "ficar".

       
    Oncologia Ginecológica e GRAACC 09/09/2014 às 09:12:01

    Se você é profissional da saúde, este livro lhe interessa.