Segunda-feira, 29 de maio de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Lições de vida

Por Inês Pereira Berman *


Ao levar seu filho a praticar algum esporte, você estará facilitando o aprendizado de valores como respeito e ética e o fortalecimento da auto-estima.

Com certeza as crianças exercitam o corpo, desenvolvem a coordenação, a lateralidade e a flexibilidade. Mas grande parte dos pais nem imagina que o esporte pode trazer para os filhos muito mais do que os benefícios para a saúde. Não é à toa que a frase "Esporte não é droga. Pratique" é tão amplamente utilizada. Ao se engajar numa atividade, a criança estará, acima de tudo, formando seu caráter e assimilando valores que a tornarão um adulto mais seguro e feliz.


A primeira lição que se aprende é que, como em casa ou na escola, no esporte também existem regras. Qualquer que seja a modalidade, só pode ser praticada se o conjunto de regras for seguido. A figura do técnico, professor ou orientador também está sempre presente e, tão logo começa a se familiarizar com o esporte, a criança aprende que essa pessoa precisa ser respeitada. Da mesma forma, os colegas que participam do jogo, no caso dos esportes coletivos, também devem ser considerados.

Um dia de vitória, outro de derrota

Vida de esportista é assim: no final do campeonato, ou se ganha ou se perde. É muito saudável que, desde pequenino, seu filho sinta como é gostoso ganhar, mas também aprenda a perder. O saber perder significa aceitar que foi derrotado naquele momento - o que não quer dizer que será derrotado em outros setores. O caráter, os valores, a capacidade independem disso. Aprender a lidar com a derrota é, nas entrelinhas, aprender a lidar com as frustrações e os reveses da vida sem abalar a auto-estima nem a autoconfiança.

Olhar interior

O esporte traz um conhecimento introspectivo muito grande. É como se os botões de um painel localizado no cérebro fossem ligados, ativando estruturas de reconhecimento próprio, dos movimentos: como controlá-los e coordená-los. Esse exercício do aparelho locomotor também exercita o lado emocional. O pequeno atleta vai logo entender que precisará controlar sua ansiedade para conseguir realizar seus movimentos, suas jogadas. Também aprenderá que superar dificuldades implica conviver com emoções negativas como a angústia e a insegurança. O cérebro cria uma representação de todos os segmentos do corpo. Quanto mais refinados são os movimentos, mais refinada se torna a representação. E a consciência corporal é um passo importante para uma vida adulta equilibrada.

Treinar, treinar, treinar

Se perdeu agora, vá para o segundo tempo! Se não conseguiu concluir a jogada, tente outra vez! Se não atingiu a marca, repita! O esporte exige perseverança, espírito de luta, força de vontade, persistência, paciência. O verdadeiro atleta busca superar a si mesmo e isso leva a um exercício diário de humildade, de reconhecimento das próprias limitações. Mesmo que seu filho não almeje ser um atleta, muito menos ter como meta a medalha de ouro, ainda assim vai aprender lições valiosas. E no futuro terá não só os músculos, mas também o caráter fortalecido.


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Manual do ficar, especial para pais 17/06/2002 às 15:36:00

Para os pais que não viveram a onda do "ficar".

   
Animais, alegria para toda a família 06/11/2001 às 15:33:00

Animais de estimação oferecem carinho e companhia, ajudando até a curar a depressão. Quem resiste?

   
Capoeira, esporte, lazer e educação 05/04/2001 às 17:22:00

Os pequenos aprendem o 'au', aplicam 'meia-lua de frente' e se esquivam para o lado. A capoeira chegou na vida da garotada, pegando carona nos 500 anos do Brasil que reacendeu uma paixão pela cultura nacional.

   
Como lidar com a erotização precoce 03/05/2001 às 14:46:00

O medo dos pais em deixar seus pequenos com o controle-remoto nas mãos é justificável. Sabe porquê? Alguns programas de televisão estão assustando até os adultos mais liberais.

   
Desenho, canal de comunicação 20/02/2001 às 14:11:00

Desde pequenas, as crianças se utilizam do desenho como linguagem, para se expressarem e compreenderem o mundo. Conhecer o desenvolvimento de cada uma das fases é uma forma de se aproximar do que está na cabeça e no coração de seu filho.