Quarta-feira, 03 de junho de 2020
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Os primeiros dias de vida

Por Dr. Leonardo Posternak * em 20/03/2001


Seu bebê espirra com freqüência, soluça e nem sempre depois de mamar arrota? Esses pequenos problemas acontecem com a maior parte dos recém-nascidos e não são sinais de doença à vista. Veja o que fazer nesses casos.

A imaturidade do organismo do recém-nascido provoca algumas reações estranhas e em geral são motivo de preocupação para os pais, principalmente os de primeira viagem. Mas são situações típicas do desenvolvimento e uma respostas aos estímulos que está recebendo. Então, não se desespere diante dos quadros que verá a seguir. São normais e freqüentes!


Espirros

Logo no primeiro dia de vida seu filho pode espirrar. Mas isso não é sinal de gripe ou resfriado. O organismo do bebê está tentando limpar as vias aéreas superiores, que podem conter um pouco de líquido amniótico ou sangue, aspirados durante o parto, tanto normal como cesáreo. Essas substâncias podem ter secado e grudado na mucosa do nariz, provocando incômodo. Para ajudar seu filhote, pingue algumas gotinhas de soro fisiológico nas narinas: elas irão eliminar os resíduos.


Olho aberto

Alguns bebês não fecham os olhos completamente ao dormir, deixando aparecer um pedacinho da córnea. Isto ocorre porque a pálpebra ainda não está com a musculatura firme e impede a cobertura total da superfície ocular. Nesse caso não há nada a fazer, apenas aguardar a maturidade do organismo. Em média, após o primeiro mês de vida o problema acaba.


Soluços

Dois estímulos podem desencadear o soluço: frio na barriga e estômago cheio. O primeiro geralmente acontece quando a fralda ou a roupa do bebê é trocada deixando o abdome exposto. Mas assim que o local é aquecido e protegido o soluço acaba. O segundo ocorre por hiperalimentação. Quando o recém-nascido mama demais, o estômogo dilata e pressiona o diafragma, provocando pequenas contrações.


Arrotos

Essa é uma preocupação constante dos pais. No entanto há crianças que, depois da mamada, nem sempre emitem o barulho característico do arroto, que é expulsão do excesso de ar acumulado no estômago. Outras são mais lentas e demoram a arrotar. Aguarde alguns minutos com o bebê no colo e evite aqueles tapinhas nas costas dele. Acredite: mesmo dormindo, seu filho conseguirá eliminar o excesso de ar que causa desconforto.


Respiração barulhenta

O recém-nascido, muitas vezes, emite um barulho parecido com o ronco. Isso é resultado do crescimento do tecido linfático que compõe as amígdalas, baço, alguns gânglios e nariz, entre outros. Nas narinas o aumento do tamanho é mais acelerado e dificulta a passagem do ar provocando o ruído. Depois do primeiro semestre, os tecidos se igualam e o problema desaparece. Não é preciso operar.



* Dr. Leonardo Posternak é médico pediatra,
membro do Departamento de Pediatria do Hospital Israelita Albert Einstein.
Co-autor do livro
E Agora, o que Fazer? A Difícil Arte de Criar os Filhos
, Editora Best Seller.
Autor de
O Direito a Verdade - Cartas Para Uma Criança
, Editora Globo.


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Momento Clicfilhos - Leitura, desafio de pais e professores 13/02/2020 às 16:18:58

Habituar os filhos a mergulhar nos livros nem sempre é fácil. Aprenda, aqui, como estimulá-los.

   
Momento Clicfilhos - Afinal, para que serve a mesada? 13/02/2020 às 15:58:02

Os filhos pedem, e como pedem! Querem brinquedos, roupas de griffe, jogos de videogame, guloseimas... Como fazer da mesada uma aliada?

   
Momento Clicfilhos - Bullying, violência na escola 13/02/2020 às 15:20:51

Humilhação, intimidação, ameaça. Diariamente, estudantes de todas as idades são vítimas desse tipo de violência moral na escola. Os agressores são seus próprios colegas. Como lidar com essa situação?

   
Momento Clicfilhos - Animais, alegria para toda a família 13/02/2020 às 15:16:32

Animais de estimação oferecem carinho e companhia, ajudando até a curar a depressão. Quem resiste?

   
Momento Clicfilhos - Com açúcar, com afeto... 13/02/2020 às 15:08:46

Você entra no quarto do seu filho e sente como se um furacão tivesse passado por ali: gavetas semi-abertas, roupas para fora, brinquedos espalhados pelo chão, lápis, livros e cadernos sobre a cama ...