Quinta-feira, 22 de junho de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Recompensas para seu filho cooperar

Por Carla Oliveira *


Chega de ameaças! Com isso, a criança passa a ter medo dos pais e, em vez de colaborar dentro e fora de casa, obedece apenas para não ser punida.

Seu filho tem medo de você? De acordo com John Gray, autor do livro "Children are from heaven" (sem tradução para o português), os pequenos não devem temer seus pais. Um dos métodos que reforça este sentimento - muito utilizado na hora em que perdemos a paciência - é a ameaça. Quando partimos para o "se você não arrumar o quarto, não poderá brincar mais" estamos, na verdade, criando uma criança obediente, mas não alguém que coopere e entenda realmente seus deveres.


Para tanto, a educação e a disciplina baseadas na gratificação mostram-se como boas formas para evitar que, no futuro, seu filho seja rebelde. Como fazer isso, então? Incentive as trocas positivas, isto é, "Se você se arrumar o seu quarto, ganhará mais uma hora para brincar com seu amigo". Funciona, mais ou menos, como no mundo dos negócios: o executivo que recebe bônus por um trabalho bem feito ganha estímulo para continuar produzindo mais e melhor.

Todas nascem como seres bons

De acordo com John Gray , toda criança nasce com uma índole boa e, estimulando-a com recompensas em vez de ameaças, você estará cultivando seu lado positivo, além de aumentar a auto-estima dela. Seu filho, portanto, desenvolverá ainda mais a capacidade de ser uma pessoa boa e aprenderá a respeitar o outro em vez de temê-lo.


Geralmente, os pequenos comportam-se mal quando desejam alguma coisa e os pais não satisfazem essa vontade. Então, a gratificação deve surgir exatamente nesses momentos, em que eles parecem "sair do controle" e que, na maioria das vezes a bronca ou chantagem costuma aparecer.


Entretanto, essa teoria não exclui os limites como uma das bases da educação, já que somente com eles as crianças aprendem a lidar com a frustração e percebem que, ao longo de sua vida, nem sempre conseguirão tudo o que querem. O autor enfatiza que as crianças precisam de pais fortes, que saibam o que é melhor para elas e sejam o seu guia. seus filhos.

Dicas para o dia- a- dia

  • Esqueça sermões! Crianças abaixo de 9 anos não estão mentalmente prontas para eles . Quando elas pedirem algo fora do seu alcance, não explique demais, pois com isso você perde a autoridade e oferece mais chances delas irem contra suas palavras.

  • Seja breve, positivo e direto. Quando quiser algo peça: Vamos arrumar o quarto? Não esqueça que você comanda e, quando as crianças não sentem isso, ficam inseguras e exigentes.


  • Na hora da gratificação, pense em algo que seu filho realmente quer. Pai inteligente está sempre preparado!


  • Dê mais tempo para o pequeno encarar algo que não deseja. Em vez de arrancá-lo do parquinho como se fosse uma bolsa, fale: "Daqui cinco minutos vamos embora". Isso ajuda a evitar escândalos e berreiros.


  • Com crianças de 4 a 9 anos, faça uma lista de atividades e de ações positivas. Antes dela dormir, chequem juntos a listinha e coloquem adesivos ou pintem as ações que foram feitas e não façam nada nas não cumpridas. Cada ação pode valer um ponto e, quando ela alcançar 25 pontos, você pode fazer algo especial com seu filho.


    Finalmente, como qualquer técnica ou programa, é preciso paciência e persistência para conseguir alguns resultados. Boa sorte!


  • Comentário:    
           

    Matérias relacionadas

       
    O grande reencontro 05/05/2009 às 19:04:00

    Em uma grande homenagem ao Dia das Mães, o Clicfilhos conta a você a história de Assílio, que foi separado de sua mãe quando pequeno e, após 30 anos, conseguiu reencontrá-la por meio da Internet.

       
    Caminhos para uma boa pesquisa 10/04/2002 às 15:29:00

    Para que uma pesquisa renda bons frutos é preciso método, discernimento e foco no assunto. Ensine seu filho a descobrir tesouros numa biblioteca, real ou virtual!

       
    Dicas para proteger seus filhos 26/03/2003 às 13:21:00

    Principalmente as grandes cidades oferecem uma série de riscos para nossos filhos. Veja aqui dicas para protegê-los contra alguns problemas, como assalto e seqüestro.

       
    Abuso sexual contra crianças 14/08/2004 às 14:27:00

    Na grande maioria dos casos de abuso sexual contra crianças, o agressor é um parente ou conhecido da família. O que fazer para evitar essa ameaça que parece tão próxima?

       
    Bullying, violência na escola 01/08/2004 às 11:19:00

    Humilhação, intimidação, ameaça. Diariamente, estudantes de todas as idades são vítimas desse tipo de violência moral na escola. Os agressores são seus próprios colegas. Como lidar com essa situação?