Sexta-feira, 28 de abril de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

A importância dos dentes de leite

Por Luiza Helena Marcondes * em 11/07/2001


Todo dente de leite estimula o crescimento ideal da face e ao mesmo tempo serve como guia para o permanente, que está em formação. Veja porque a manutenção dos primeiros dentinhos é fundamental para a saúde de seu filho.

Crianças adoram doces e dificilmente resistem à tentação quando vêem uma barra de chocolate ou uma bala. Tudo bem, não se pode impedir que os pequenos comam as guloseimas, contudo é preciso muito cuidado logo após a sua ingestão.


Doces são inimigos dos dentes, por isso, a escovação é fundamental para manter a boca saudável e livre de cáries. Mas se você acha que esse cuidado é necessário apenas com os dentes permanentes, está muito enganado.


Desde o nascimento do primeiro dente de leite, por volta dos 6 meses de idade, é preciso adotar bons hábitos - como fazer a higiene bucal correta e abandonar chupetas e mamadeiras - para não perder o precioso guia do permanente. Isso mesmo, os primeiros dentes "iluminam" o caminho do permanente, que está em formação e estimulam o crescimento ideal dos ossos da face.

Inimigos da boca

Segundo a dentista Carla Di Rago Todescan, de São Paulo, toda ingestão de açúcar é terrível para os dentes porque provoca fermentação e deixa a boca livre para o ataque das bactérias, que provocam acidez bucal. Para combatê-las, os dentes liberam cálcio e enfraquecem. Ao morder os alimentos, surgem pequenos buracos, mais conhecidos com cárie.


A escovação elimina o "bichinho", a fermentação e o ácido. Mas, para isso, a limpeza precisa ser bem feita, caso contrário todo o serviço vai por água abaixo. É fundamental, portanto, aprender a escovar os dentes corretamente. Consulte o dentista para que ele ensine a melhor forma de fazer a higiene bucal.

Função comprometida

De acordo com a especialista, a cárie é uma doença infecciosa que precisa ser tratada. Quando não cuidada pode até provocar a morte, em casos extremos e raros. "O germe entra na corrente sangüínea pela gengiva e chega até o coração", explica a especialista.


Cada dente tem a sua função e quando está doente não desempenha direito o seu papel. O resultado disso é um desequilíbrio de crescimento dos ossos da face. "Para ter desenvolvimento é preciso uso", alerta dra. Carla.


A harmonia bucal será construída com o uso adequado dos dentes. A criança desde pequenina precisa mastigar alimentos duros e crus para ter um sorriso bonito e saudável.

Ginástica bucal

Frutas, verduras, legumes - e muita água! - são fundamentais para uma boca perfeita. Esses alimentos, além de terem muitas vitaminas e nutrientes, são ótimos para a ginástica bucal. "Da mesma forma que o corpo precisa de exercícios a boca também tem que se mexer", afirma a especialista.


Segundo dra. Carla, é o impacto da mastigação que estimula o crescimento dos ossos da face. Sem a trituração alimentar, a criança não desenvolve o espaço suficiente para acomodar toda a dentição e aí começam os problemas. Essa é uma das causas do enorme número de baixinhos que utilizam aparelhos nos dentes atualmente.


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Dicas para proteger seus filhos 26/03/2003 às 13:21:00

Principalmente as grandes cidades oferecem uma série de riscos para nossos filhos. Veja aqui dicas para protegê-los contra alguns problemas, como assalto e seqüestro.

   
Abuso sexual contra crianças 14/08/2004 às 14:27:00

Na grande maioria dos casos de abuso sexual contra crianças, o agressor é um parente ou conhecido da família. O que fazer para evitar essa ameaça que parece tão próxima?

   
Paz em casa 31/07/2002 às 13:46:00

Dicas preciosas da revista Meu Nenê e Família

   
Manual do ficar, especial para pais 17/06/2002 às 15:36:00

Para os pais que não viveram a onda do "ficar".

   
Crianças especiais 05/11/2003 às 13:40:00

Classes regulares aceitando alunos com necessidades especiais já são realidade em algumas escolas. Naturalmente, como em toda reformulação, existem dúvidas dos pais. Será positiva a convivência entre crianças com diferenças mais acentuadas?